Cachorrinha que foi atacada com martelo recebe tratamento

Imagem: Reprodução/Deivid Wisley

A cachorrinha Vitória, resgatada na semana passada após ter sido brutalmente atacada pelos próprios tutores, está recebendo tratamento médico em uma clínica veterinária. As imagens do ataque ocorrido na área rural de Cambé (RML) viralizaram e geraram revolta nas redes sociais.

De acordo com o protetor de animais que também é vereador em Londrina, Deivid Wisley (REPUB), a cadelinha ainda estava viva e agonizando quando ele e sua equipe chegaram ao local. Vitória recebeu diversos golpes de martelo na cabeça e teve o crânio rachado durante o ataque.

Nas imagens de uma câmera de segurança que registrou o crime, a mulher se aproxima segurando a cachorrinha enrolada em um pano e a coloca no chão. É quando o homem começa desferir golpes na contra o animal. Ele também segurava uma enxada na outra mão.

Imagem: Reprodução/Deivid Wisley

Segundo informações do parlamentar que acompanha o caso, Vitória tem recebido o melhor tratamento possível, mas ainda não está conseguindo se alimentar. Os profissionais também identificaram diversas doenças como anemia, doença do carrapato, azotemia, além de um câncer em estado avançado.

O diagnóstico é bastante grave, mas novos exames serão realizados nesta segunda-feira (15). “Vamos seguir acompanhando o caso. Ela estar viva é um milagre. Um dia de cada vez, até responder o tratamento. Torçam por ela”, disse o protetor.

Casal prestou depoimento

O casal acusado das agressões prestou depoimento na sexta-feira (12) na Polícia Civil, com a presença do advogado. Segundo informações, os dois prestaram esclarecimentos por mais de uma hora, mas não ficaram presos por não ser um caso em flagrante.

Imagem: Reprodução/TemWhats

A identidade dos autores não foi divulgada.

O delegado deve concluir o caso em breve e decidir sobre o indiciamento do casal. Eles podem responder pelo crime maus-tratos contra animais e, caso condenados, podem pegar até cinco anos de prisão, além de multa de até R$ 50 mil.

O jornalismo do TEM vai acompanhar o caso.

Redação Tem Londrina


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail