Mutirão de castração animal prevê atender mil cães e gatos em Londrina

Imagem: Emerson Dias/Ncom

Nesta quarta-feira (2), a Prefeitura de Londrina, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), deu início ao maior mutirão de castração animal de Londrina, que pretende castrar mil cães e gatos nos próximos quatro dias. A ação está sendo realizada na quadra coberta do Centro Comunitário da Comunidade Capela São Pedro, que fica na Rua Otávio Clivati, no Jardim das Palmeiras, na região norte de Londrina.

No Centro Comunitário São Pedro estão instalados dois Castramóveis com estrutura de centro cirúrgico. Cerca de 20 profissionais de saúde (sendo dez deles médicos veterinários) estão atuando das 8h às 17h e permanecerão assim até sábado (5). Além da castração, todos recebem um microchip contendo os dados sobre o nome do tutor, endereço, idade do animal e outros dados relevantes. Assim, caso o bicho se perca ou seja abandonado de forma irresponsável, seu tutor pode ser facilmente encontrado pelas autoridades.

Imagem: Emerson Dias/Ncom

Após o procedimento médico veterinário, todos saem com a medicação e as orientações para o acompanhamento e retirada dos pontos. De acordo com Murilo Lago, médico veterinário da Clinicão, empresa contratada pela Prefeitura de Londrina para a execução do serviço, é preciso que a população se atente a algumas orientações importantes, como o jejum correto dos bichos e os cuidados pós-operatórios. “Temos que lembrar que o jejum deve ser feito corretamente, porque quando há grande período de tempo sem alimentar o animal isso gera hipoglicemia e quando ele está com jejum curto, pode fazer falsa via através do vômito. O jejum correto é de 8 a 12 horas, no máximo. No dia do procedimento, o animal ainda fica sob efeito dos medicamentos, porém nos dias seguintes ele já se recupera e precisa de cuidados pelos próximos 10 dias. Toda a medicação já é fornecida por nós”, elucidou o médico veterinário.

Neste mutirão, foram convocadas para participar as pessoas que já tinham sido cadastradas no serviço e consideradas aptas na triagem. Por isso, cães e gatos de organizações não governamentais e de tutores em geral, que atendem aos critérios estabelecidos em lei, e tenham entre 6 meses a 8 anos de idade, podendo ser machos ou fêmeas, estão sendo atendidos. Não há critério de peso ou raça para a castração.

Para o tutor de duas cadelas porte médio, Welligton Noberto Spagnolo, de 56 anos, a ação veio em boa hora, visto que os cuidados com as duas fêmeas são constantes, visto o perigo de elas fugirem de casa. “Faz um mês mais ou menos que eu cadastrei e já fui chamado. Isso vai ajudar muito, porque já teve um dia que a Mila fugiu de casa, quando minha mulher abriu o portão para ir trabalhar, e quando a cadelinha voltou para a casa, dois dias depois, ela estava prenha. Ela sofreu muito quando teve os filhotes, porque deve ter cruzado com um cachorro grande. Todos os filhotinhos acabaram morrendo. Agora, a gente fica mais tranquilo”, disse o tutor.

Imagem: Emerson Dias/Ncom

Em castrações solidárias pagas pelos protetores de animais, o custo médio para um animal de até 10 quilos é de R$ 160. Acima desse peso, o valor sobe R$ 50 por quilo. Por isso, a castração de um animal de porte grande pode chegar a custar R$ 800. Para gatos, o preço varia de R$ 100 a R$ 200.

O Castramóvel funciona diariamente de segunda a sexta-feira, de forma itinerante. Em média, por dia são cadastrados e microchipados cerca de 60 animais. De março de 2020 até o momento, foram castrados mais de 17 mil cães e gatos.

Redação Tem com Ncom



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail