De quem é a culpa?

Roberto Fonseca deixa o comando técnico do Londrina – Foto: Reprodução/Facebook

Salve Nação Alviceleste!

Depois da vexatória derrota frente ao Bahia pela Copa do Brasil, o clima no Londrina segue tenso, agora o treinador Roberto Fonseca, que acabou de retornar de um período no Novorizontino pediu as contas e deixou a equipe, após a incrível marca de 1 partida a frente do comando técnico. Fonseca publicou em suas redes sócias alguns dos motivos que o levaram a tomar tal decisão, tais como dificuldades em se cumprir o planejamento inicial, como a vinda de jogadores que não aconteceram devido ao orçamento do Londrina para a série B e também determinadas falas da imprensa e torcida que o mesmo julgou que ultrapassaram a questão profissional e atingiram até sua família.

Porém inúmeras questões surgem, seria essa uma desculpa por não ter gostado do trabalho do treinador Alemão no paranaense? Visto que o próprio Fonseca fez inúmeras modificações na equipe, mesmo com jogadores totalmente fora do ritmo de jogo. Talvez o mesmo não vê futuro no atual elenco e como sabe que não irá receber os reforços que gostaria está tirando “o seu da reta”? Será que isso poderá ocorrer com o atacante Dagoberto também? Que pediu no mínimo um time competitivo para renovar seu contrato?

Não sei, porém o que sei é que continuamos com falsas promessas e principalmente com mais apostas, os reforços vieram de clubes de pequena expressão pelo país, assim como nos últimos anos, dó de investir? Esse é o ano da maior receita recebida pelo Londrina, o avanço até a atual fase da Copa do Brasil rendeu 4,5 milhões de reais ao clube (tirando a porcentagem da divisão com o Botafogo/PB na fase anterior), somado ao que receberemos pela Série B é vergonhoso não termos um time competitivo para o acesso.

Temos bons nomes no elenco e jovens promissores, casos de Luquinha, Marcelinho e Anderson Oliveira, porém a responsabilidade cair nas costas desses jovens não é justo com os mesmos, que tem condições de evoluir muito na carreira, visto que sabemos como é o futebol e a paixão do torcedor, de modo que se o jogador não vai bem em 2 ou 3 jogos a pressão sobre ele é cada vez maior e com jovens como esses, pode ocorrer de serem queimados. Se a receita no ano é a maior nos últimos anos (em que o investimento foi ridículo e mesmo assim pela ruindade dos adversários quase conseguimos subir) porque não investir um pouco mais e definitivamente conquistar o acesso?

O problema maior seria o fim do contrato do gestor que se encerra no próximo ano? A falta de vontade em investir gira em torno disso? O papo de “esse ano subiremos” já cansou, as falsas promessas não deixam com que isso realmente se concretize. Apenas para citar alguns nomes, tentamos contratar Everton Sena, Felipe Marques e Paulinho, bons jogadores do Novorizontino, e os perdemos por propostas melhores, de grandes clubes do país? Não, do Cuiabá. Se queremos figurar na elite do futebol nacional em 2020 é necessário investir em bons jogadores, é necessário ter um elenco qualificado, visto que a série B é longa.

Não é necessário que concordem com tal texto, ele é mais um desabafo desse que vos escreve, porém pelo quarto ano seguido iniciaremos uma série B com promessas e mais promessas e NENHUM jogador que chega para resolver, que chega para jogar. O torcedor já perdeu a paciência com isso, e aí senhor gestor, mais um ano entraremos em um campeonato apenas para disputa-lo? Visto que não vejo a gana de ser campeão de algo há muito tempo, o nível ridículo do paranaense por exemplo é algo que me deixa revoltado, e olha que nem precisaríamos de muito para sermos campeões, porém o mais irritante é o descaso e a falta de vontade de investir para conquistarmos o acesso para a primeira divisão, isso que nem vou ficar aqui citando os inúmeros pontos positivos de disputar a elite do futebol, porque isso qualquer um sabe.

E para você torcedor, quem é o maior culpado pela atual “desorganização” do futebol do Londrina? Alemão? Roberto Fonseca? Jogadores? O gestor Sérgio Malucelli?


Copa do Brasil, a “galinha” dos ovos de ouro?!

Salve Nação Alviceleste!

Foi no sufoco, mas quando não é para o Londrina? O empate que levou a decisão contra o Paraná para os pênaltis veio apenas aos 47 do segundo tempo, numa cobrança de falta magistral do iluminado Luquinha, que com personalidade colocou a bola no ângulo do goleiro Thiago Rodrigues, nos pênaltis deu Tubarão por 5×4 e classificação para a terceira fase da Copa do Brasil.

Luquinha comemora gol milagroso no Estádio do Café – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

E seria ela a “galinha” dos ovos de ouro dos clubes do futebol brasileiro? Deixo claro que o termo galinha em nenhum momento foi utilizado tendo como referência o tal time da capital que acreditou estar classificado, fez cera o jogo todo e que no fim teve o destino selado pelos deuses do futebol que não gostam de injustiças, hahahaha, ou seja é uma mera coincidência.

Pois bem, desde que a CBF decidiu turbinar a premiação os clubes passaram a ver com outros olhos a competição, que se tornou extremamente atrativa. Atualmente o Londrina está no grupo III da divisão de premiação, divisão essa feita apenas na primeira e segunda fase, a partir de agora todos os clubes recebem o mesmo valor, no grupo III estão os times que estão fora da elite e abaixo do top 15 no ranking de clubes da CBF.

 Premiações da Copa do Brasil 2019:

Ao disputar a primeira fase o Londrina recebeu 525 mil reais, com a classificação sobre o Americano/RJ o Tubarão recebeu mais 625 mil reais por disputar a segunda fase, agora classificado para a terceira fase receberá mais 1,450 milhão de reais, somando 2,6 milhões de reais apenas em premiação, caso passe para a quarta fase (enfrentará o vencedor de Tombense/MG x Botafogo/PB que duelam dia 28 de fevereiro) receberá mais 1,9 milhão de reais o que representaria em torno de 75% do que o clube recebeu em toda a Série B de 2018.

Somando isso com a cota que receberá para a Série B, mais uma porcentagem de um acordo de clubes para transmissões da Série A e Série B no exterior, cota do campeonato paranaense (essa uma miséria) e mais o sócio Sou Tubarão, o Londrina tem tudo para ter uma equipe forte para a disputa do Campeonato Brasileiro da Série B e fazer diferente dos últimos três anos, quando com um investimento pequeno bateu na trave e por pouco não conseguiu o acesso.


O que esperar do Londrina em 2019?

Salve Nação Alviceleste!

Apesar dos inúmeros impasses quanto ao “fica ou não fica” do gestor para as próximas temporadas, o Tubarão corre contra o tempo para ter um time competitivo para a disputa do Campeonato Paranaense e se reapresenta hoje, o Alviceleste estreia no próximo dia 20 contra o Cianorte, fora de casa. A aposta é em um time mais barato para a disputa do estadual, com vários atletas da base, como o meia Matheus Bianqui e o atacante Uelber, duas promessas e que tem a confiança do treinador Alemão, além do lateral Matheuzinho, recentemente convocado para a Seleção Brasileira Sub20.

O Tubarão contratou os goleiros Matheus Albino (ex-Joinville) e Emerson (ex-Paysandu), o zagueiro Augusto (ex-Santa Cruz), contará também com a volta do já conhecido atacante Weverton, que estava no Brusque/SC e do atacante Luidy, que pertence ao Corinthians e será emprestado ao Alviceleste, porém “perdeu” inúmeros jogadores, como Paulinho Moccelin e Carlos Henrique e também o técnico Roberto Fonseca, que foram para o Novo Horizontino disputar o campeonato paulista, mas de acordo com o gestor, voltam para a série B. O objetivo principal é dar experiência aos mais jovens e tentar encontrar uma espinha dorsal, mantendo jogadores juntos no clube paulista, para a competição mais importante do ano, a Série B.

Alemão (dir.) assumirá o comando do Tubarão no Paranaense – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

Competição essa que após três anos batendo na trave e sempre da mesma maneira, deveria ser tratada com mais seriedade pelo gestor, são três anos idênticos, com o time sendo montado no meio do ano e o Londrina passando por diversos perrengues no início e tendo que correr atrás do prejuízo no decorrer da Série B, o final é sempre o mesmo, ficamos muito próximos do acesso e choramos pontos perdidos por não ter um time competitivo desde o início.

O próprio destaque do Londrina na Série B deste ano, o atacante e artilheiro da competição Dagoberto concedeu algumas entrevistas batendo na mesma tecla, de que um time deve ser competitivo do início ao fim, com a 16ª folha salarial da série B em 2018 fica difícil querer buscar alguma coisa, é um campeonato longo e que exige um elenco de qualidade em busca desse objetivo, inclusive este é outro ponto que incomoda não só o atleta, mas quem os escreve, a “falta de interesse” do gestor em contar com Dagoberto para a próxima temporada, o jogador já acenou diversas vezes que recebeu inúmeras propostas, mas que antes quer ouvir o Londrina e que seu maior desejo é permanecer na cidade, que está adaptado juntamente com a sua família e que vestir a camisa do Londrina se tornou motivo de orgulho para ele, tá na hora do gestor se mexer e qualificar a equipe pra 2019.

O torcedor espera um pouco mais de seriedade, não queremos que a equipe entre em campeonatos apenas para disputar ou se manter na Série B, queremos classificações, acesso e títulos, a própria Copa do Brasil que hoje paga prêmios jamais pagos anteriormente foi praticamente deixada de lado nessa temporada, ser eliminado em casa já na segunda fase por um time que se encontrava mal das pernas como o Ceará e deixar de ganhar uma boa quantia em dinheiro é inadmissível, nessa temporada o adversário da primeira partida é o Americano/RJ, clube recém promovido a elite carioca, avançando o Tubarão encara na segunda fase, em casa, o vencedor do duelo entre Itabaiana-SE e Paraná. A chave conta ainda com Tombense-MG x Sport e Operário-MS x Botafogo-PB, ou seja, com seriedade e principalmente competitividade podemos ir longe na competição e encher os cofres do clube.

Dagoberto aguarda proposta para seguir no Tubarão em 2019 – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

A torcida é que 2019 seja um ano bem diferente do que foi 2018, que possamos voltar a gritar “É Campeão” ou ao menos comemorar o acesso a elite do futebol brasileiro, porém o planejamento deveria ocorrer já no início do ano, mas não é isso que aparenta ocorrer, as apostas dos últimos anos não deram muito certo e o LEC ficou sempre próximo dos objetivos, mas ficar próximo também não faz com que a gente comemore título ou acesso, resta ao torcedor torcer por um time competitivo nos diversos campeonatos que disputará e cobrar, caso isso não aconteça.


Retrospectiva Alviceleste – O ano de 2018 do Londrina

Salve Nação Alviceleste!

Dezembro acabando e chegou a hora de relembrar o ano de 2018 do nosso querido Tubarão, infelizmente, diferentemente de 2017 o torcedor não conseguiu gritar é campeão e mais uma vez bateu na trave com o sonho do acesso.

O início de ano foi bem complicado e o Londrina não fez um bom primeiro turno de Campeonato Paranaense, com apenas 1 vitória em 6 partidas o Tubarão ficou fora da semifinal da Taça Dionísio Filho, essa vencida pelo Coritiba. No segundo turno uma pequena melhora e a classificação para a semifinal da Taça Caio Júnior veio no sufoco, o adversário foi o Paraná Clube e o Londrina venceu nos pênaltis garantindo a vaga para a final, porém foi derrotado pelo agora “Athletico Paranaense” que após duas partidas contra o Coritiba se sagrou campeão estadual. Ao Londrina restou a sétima colocação no Campeonato Paranaense, sua pior colocação desde a volta à elite em 2012.

Em meio ao campeonato paranaense o Londrina disputou a Copa do Brasil, temendo a eliminação precoce contra um time desconhecido, assim como em 2017 frente ao Gurupi/TO, o Tubarão foi mais focado para enfrentar o Real Ariquemes/RO e no sufoco conseguiu a classificação ao vencer por 1×0. Porém, pela segunda fase recebeu o Ceará em partida realizada no Estádio do Café e foi eliminado pelo placar de 1×2, ali o Londrina já dava mostras de que o time precisaria de reforços para a competição mais importante do ano, a Série B. A Copa do Brasil de 2018 bateu o recorde de premiações e mesmo jogando em casa o Londrina não conseguiu avançar na competição, perdendo a chance de faturar mais alguns milhões de reais.

Já no Campeonato Brasileiro da Série B, após dois anos batendo na trave, com arrancadas espetaculares no final da competição, o torcedor rezava para o ano terminar de maneira diferente e a primeira impressão é de que terminaria, mas de maneira catastrófica, as várias trocas de treinadores atrapalharam a equipe que terminou o primeiro turno da competição no Z4, com risco iminente de queda. A chegada de Roberto Fonseca deu novo ânimo a equipe, que com Dagoberto inspirado, sendo artilheiro da competição com 17 gols, conseguiu nova arrancada espetacular e brigou até a penúltima rodada pelo acesso, que infelizmente mais uma vez bateu na trave.

Os erros cometidos nos dois últimos anos, infelizmente, se repetiram mais uma vez, uma equipe que é montada no meio de uma competição raramente consegue conquistar seus maiores objetivos e isso mais uma vez ficou evidente, se o treinador Roberto Fonseca chegasse algumas rodadas antes ou se a equipe fosse reforçada antes da competição começar, talvez hoje estaríamos na Série A, porém no futebol não existe “se”, caso queiramos pertencer ao seleto grupo das 20 equipes da elite do futebol nacional o planejamento deverá ser feito visando esse objetivo, não adianta ter um time para apenas brigar para não cair ou ter uma das folhas salariais mais baixas da competição e almejar algo a mais na simples “sorte” de dar certo.

Esperar o meio do campeonato para observar se o nível técnico é ou não tão alto e querer compensar os pontos perdidos no início da Série B não vai funcionar, como não vem funcionando há três anos, o torcedor cansou desse planejamento cheio de apostas, queremos o acesso para a elite do futebol brasileiro, pois vemos que isso é possível, com um pouco mais de investimento temos grandes chances de realizar esse sonho. Não é necessário explicar profundamente que a grande cota da Séria A, patrocínios e maiores rendas contra 19 grandes clubes do futebol nacional são um grande incentivo para buscar esse algo a mais.

Outro ponto importante a se destacar é o de que a torcida abraçou o clube, principalmente na reta final da competição e foi o 12º jogador, ao gestor que as vezes parece querer afastar o torcedor do clube, ser humilde, fazer promoções, buscar o torcedor para mais perto e o fazer lotar o estádio do café, como foi visto em algumas partidas, apenas comprovou que juntos desde o início e com planejamento seremos sim um dos grandes favoritos ao acesso, mas no futebol apenas falar não adianta é necessário nos unirmos e buscarmos coisas grandes, pois o Londrina se acostumou a brigar por títulos e mostrou com as conquistas dos últimos anos que é um dos grandes do futebol paranaense, porque não ser um dos grandes do futebol nacional? Basta fazer disso um objetivo e correr atrás de realizá-lo.

Roberto Fonseca (esq.) e Dagoberto (dir.) foram os grandes responsáveis pela boa campanha do Londrina no Segundo Turno da Série B – Foto: Gustavo Oliveira / LEC

Para você, torcedor Alviceleste, o que faltou para o LEC conseguir o acesso? E o que esperar para o próximo ano?

Aproveito para agradecer a você que acompanhou o Tem Londrina nesse ano, em especial esse simples blog o Caçula-Gigante, em que tento passar a cada um de vocês o sentimento de um sincero torcedor por esse clube que tanto amamos. Desejo a cada um de vocês, um Feliz natal e próspero Ano novo, que 2019 seja um ano repleto de conquistas, realizações e inúmeras felicidades para cada um de nós.


Seguimos acreditando

Salve Nação Alviceleste!

O empate contra o Oeste no último sábado não estava nos planos do torcedor e muito menos do clube, porém a rodada ajudou e apesar de perder uma posição na tabela de classificação o Londrina diminuiu em mais um ponto a distância para o G4. O Tubarão bem que tentou, principalmente na segunda etapa, mas o goleiro adversário estava em tarde inspirada, no fim, um misto de sentimentos da grande torcida Londrinense que viajou até Barueri, frustração pelo empate e esperança com os resultados da rodada.

A vitória nos colocaria no G4, só que nada na vida do Londrina vem de maneira fácil, é um clube que tem em seu DNA o sofrimento, os caminhos mais difíceis, porém seguimos fortes, temos duas decisões e grandes chances de acesso, o apoio do torcedor será essencial nessa reta final, pois ele é extremamente importante e foi fundamental em inúmeras conquistas do Tubarão.

Se lembra do Paranaense em 2014? Nos salvamos do rebaixamento na última rodada, na semifinal um 3×1 para o Atlético/PR, em casa ainda saímos atrás, só um milagre para a classificação, e ela veio com muito suor, apoio e união, realizamos juntos o sonho da final que há muito tempo não acontecia, 4×1 para cima dos caras.

A união entre time e torcida levará o Londrina para a Série A em 2019 – Foto: Douglas Estevam

E a final? Se lembra do Willie Davids em Maringá/PR invadido pela torcida londrinense? Pouco mais de 2 mil torcedores que calaram 20 mil e foram fundamentais para o título paranaense daquele ano?

Mais recentemente a semifinal da Primeira Liga contra o gigante Cruzeiro. Adversário com 2 gols de vantagem, torcida empurrou a equipe para o empate no último lance, vencemos nos pênaltis e fomos campeões semanas mais tarde contra outro gigante, o Atlético/MG.

Acha que a caminhada nesse segundo turno foi fácil? Sair de uma zona de rebaixamento e hoje estar tão próximo do acesso não é obra do acaso, é união entre time e torcida, é o sonho muito próximo de se tornar realidade.

A nossa história sempre contou com caminhos cheios de obstáculos e sabe porque superamos todos? Porque a torcida do Londrina jamais o abandonou, porque nós sempre acreditamos e empurramos esse clube para as glórias que o mesmo possui. Nunca foi fácil, e como sempre, será difícil demais, porém unidos pelo mesmo objetivo nós iremos subir, o Brasil todo verá o Londrina na Série A em 2019.

Portanto, vá ao Estádio do Café na próxima sexta, às 21h30, chame quem você puder, mãe, pai, avô, avó, tio, tia, cachorro, gato, todos no café. Empurre o nosso Tubarão rumo a mais essa glória, vamos juntos comemorar mais esse renascimento do clube, que faz campanha impecável nesse returno, nós merecemos subir e nós iremos subir, você torcedor é parte fundamental para atingirmos esse objetivo.

Por fim, pego emprestada uma frase da Torcida Organizada Falange Azul e que resume muito bem o que estamos vivendo nessa reta final:

“Se a nossa história nos permite acreditar, juntos seguiremos fazendo história”.


Estamos a três passos do paraíso

Salve Nação Alviceleste!

Depois da vitória contra o Criciúma é impossível não acreditar fielmente no acesso, o Londrina tem apresentado um padrão de jogo que há muito tempo não se via, toque de bola envolvente, time unido e que mostra que ninguém quer ser mais do que ninguém, enfim, o time realmente está focado e fechado em busca do acesso.

Uma defesa sólida, laterais que apoiam muito bem, volantes que fecham todo o espaço e sistema ofensivo jogando o fino da bola, além de um treinador que encontrou o que a equipe havia perdido há algum tempo, o encanto e parceria em jogar futebol, todos unidos em um único objetivo, isso nos credencia ainda mais a ser uma das equipes que conquistará o tão sonhado acesso.

Temos mais 3 decisões e acredito que vencendo as 3 estaremos na elite em 2019, óbvio que secar os adversários é fundamental nessa reta final, mas ainda mais importante é o Londrina continuar com a seriedade e pensando no “jogo a jogo”, cada vitória nos deixam mais próximos ao objetivo final.

Um ponto importantíssimo de se destacar é o torcedor, que festa linda a de ontem (como vem sendo nessa reta final), com certeza haviam muito mais do que os 9 mil torcedores anunciados, torcedores esses que empurraram o time mesmo após o gol de empate da equipe catarinense, essa união entre time e torcida é o diferencial nessa reta final, é evidente que somos muito mais fortes juntos e mantendo o nível de futebol apresentado, aliado ao apoio do torcedor temos tudo para ter um grande motivo de comemoração daqui 3 rodadas.

Torcida Alviceleste apoiou do início ao fim em noite iluminada do ataque do Tubarão – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

O sonho, torcedor, está cada vez mais próximo de se tornar realidade, é hora de apoiar ainda mais, hora de nova invasão Alviceleste, desta vez em Barueri contra o Oeste, no próximo sábado (10), hora de entrar no G4 (pela primeira vez nessa série B) e não sair mais. É hora de subir Tubarão!

Para você, torcedor Alviceleste, quem é o principal responsável pelo ótimo momento do Tubarão? Alguém será capaz de nos parar?

Abaixo as três últimas partidas dos clubes envolvidos na briga pelo acesso:

 Fortaleza (65 pontos): Avaí (F)*, Juventude (C) e Coritiba (F);
CSA (58 pontos):, Atlético/GO (C)*, Avaí (C)* e Juventude (F);
Goias (57 pontos): Coritiba (F), Oeste (F) e Brasil de Pelotas (C);
Avaí (57 pontos): Fortaleza (C)*, CSA (F)* e Ponte Preta (C)*;
Londrina (54 pontos): Oeste (F), CRB (C) e Guarani (F);
Ponte Preta (53 pontos): Juventude (F), Coritiba (C) e Avaí (F)*;
Atlético/GO (52 pontos): CSA (F)*, São Bento (C) e Paysandu (F);
Vila Nova (52 pontos): Figueirense (C), Criciúma (C) e São Bento (F);

*Confrontos diretos


É o ano do acesso?

Salve Nação Alviceleste!

A vitória da última sexta-feira contra o Vila Nova/GO teve contornos dramáticos, o empate do adversário aos 43 do segundo tempo, após virada relâmpago poderia ter acabado, ou ao menos atrapalhado, os planos de acesso da equipe Alviceleste, mas a “malandragem” de Paulinho Moccelin ao provocar o goleiro e conseguir um pênalti no último lance da partida em que Dagoberto, um gênio da bola, converteu e a maturidade da equipe frente aos momentos adversos do jogo, credenciam o Londrina mais até do que em anos anteriores ao acesso.

A diferença para o G4 é de apenas três pontos faltando 5 rodadas, vencendo 4 partidas, ao meu ver subiremos, são inúmeros os confrontos diretos até o final da competição, contudo o Alviceleste tem nova decisão no próximo sábado, a partida contra o Avaí, na Ressacada, pode colocar o Tubarão no G4 e mais, pode nos deixar a apenas 2 pontos da equipe catarinense que hoje é a segunda colocada e que possui a tabela mais complicada nessa reta final, vamos jogo a jogo pensando nos três pontos para ao fim dessa Série B poder comemorar.

O torcedor espera não bater na trave mais uma vez e sinceramente acredito que este ano será diferente, a consistência tática que Roberto Fonseca deu ao time e a segurança/confiança com que os atletas desempenham suas funções em campo é algo que há muito tempo o torcedor não via, para o treinador o Londrina resgatou aquilo que o torcedor queria, um time de brio, que luta do início ao fim e com isso temos boas chances de conseguir o tão sonhado acesso.

Dagoberto e Germano comemoram suada vitória frente ao Vila Nova/GO – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

Aliado a isso está o torcedor, o Londrina é muito mais forte quando ele está ao seu lado, dificilmente o Tubarão conseguiria o resultado positivo se não fosse empurrado pelas quase 6 mil pessoas que estavam no Estádio do Café na última sexta-feira, você faz a diferença torcedor, com a equipe jogando o futebol que está jogando e nós empurrando nas arquibancadas, fica muito difícil nos vencer e nos aproximamos de um final feliz. Juntos conquistaremos o acesso. Tubarão na Série A em 2019? Eu Acredito!

Abaixo deixo a relação das últimas partidas dos clubes envolvidos na briga pelo acesso:

Fortaleza (61 pontos): Atlético/GO (F)*, CSA (C)*, Avaí (F)*, Juventude (C) e Coritiba (F);
Avaí (55 pontos): Londrina (C)*, Atlético/GO (F)*, Fortaleza (C)*, CSA (F)* e Ponte Preta (C)*;
CSA (54 pontos): Sampaio Corrêa (F), Fortaleza (F)*, Atlético/GO (C)*, Avaí (C)* e Juventude (F);
Goias (53 pontos): Criciúma (F), Sampaio Corrêa (C), Coritiba (F), Oeste (F) e Brasil de Pelotas (C);
Atlético/GO (51 pontos): Fortaleza (C)*, Avaí (C)*, CSA (F)*, São Bento (C) e Paysandu (F);
Vila Nova (51 pontos): Paysandu (C), Brasil de Pelotas (F), Figueirense (C), Criciúma (C) e São Bento (F);
Londrina (50 pontos): Avaí (F)*, Criciúma (C), Oeste (F), CRB (C) e Guarani (F);
Ponte Preta (47 pontos): São Bento (C), Boa Esporte (C), Juventude (F), Coritiba (C) e Avaí (F)*;

*Confrontos diretos

Para você, torcedor Alviceleste, quais as chances de acesso este ano?


Até onde podemos chegar?

Salve Nação Alviceleste!

A vitória frente ao Coritiba no Couto Pereira, na última sexta-feira, após 24 anos de jejum na capital, aliada a solidez adquirida pela equipe do Londrina nas últimas rodadas, faz com que o torcedor e o elenco voltem a acreditar que é possível conquistar algo a mais do que apenas permanecer na Série B.

A chegada de Roberto Fonseca trouxe ânimo novo a equipe, que passou a ser muito forte em casa, quatro vitórias nos últimos quatro jogos e também voltou a se portar de forma compactada, além de ser muito perigoso nos jogos longe dos seus domínios.

Hoje o Londrina se encontra na nona posição, com 36 pontos e a sete pontos tanto do Z4, quanto do G4, a continuidade de uma boa sequência de resultados pode fazer, daqui algumas rodadas, que o Londrina entre definitivamente na briga pelo acesso, condições a equipe tem, pois parece que encontrou o seu melhor futebol.

Nesta terça, o Tubarão recebe o Figueirense, às 21h30 no Estádio do Café, equipe imediatamente acima na tabela, em um chamado jogo de seis pontos. A vitória é de fundamental importância, pois o Londrina terá Juventude e Goiás nas próximas rodadas e atuará longe de casa.

Lucas Costa marcou o gol da vitória Alviceleste frente ao Coritiba na capital. – Gustavo Oliveira / LEC

O Alviceleste tem feito seu papel na competição, principalmente nas últimas rodadas e conta com o apoio do torcedor para quem sabe ao final do ano comemorar um acesso que não estava nos planos, devido ao péssimo primeiro turno. Ano passado a arrancada na reta final quase foi coroada com o acesso, quem sabe o ano do Londrina não seja esse? As coisas nunca foram fáceis para o Tubarão, que sempre vai pelo caminho mais complicado.

Com o apoio do torcedor e a continuidade do futebol apresentado pelo Londrina nas últimas partidas podemos ir longe nessa reta final e comemorar juntos o tão sonhado acesso para a Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro. Nós merecemos!

E você, torcedor Alviceleste, ainda acredita que podemos chegar ao G4? Para você, qual o principal motivo ou qual o principal responsável pelo ótimo momento do Londrina?


É permitido sonhar?

Salve Nação Alviceleste!

Os últimos dias têm sido leves para o torcedor, o Alviceleste fez o que ainda não havia feito na competição, vencer duas partidas seguidas e pode enfim respirar na luta contra o rebaixamento, mas a atenção ainda deve ser total, pois apenas 2 pontos separam o LEC da temida zona de descenso.

O treinador Roberto Fonseca aos poucos vai ajeitando a casa, os recém-chegados Higor Leite e Sávio entraram bem na equipe e estão somando ao grupo, Dagoberto continua decidindo e outros jogadores voltaram a fazer boas partidas, casos de Thiago Ribeiro, Lucas Ramon e Vagner, tudo isso agrega no fortalecimento da equipe para a sequência da competição.

Roberto Fonseca deu cara e ânimo novo ao elenco do Londrina – Fonte: Gustavo Oliveira/LEC

As vitórias em casa contra Paysandu e Ponte Preta deram ânimo novo ao grupo e também ao torcedor, que já sonha mais além, quem sabe a continuidade na sequência de vitórias não nos aproxime do G4 e nos coloque novamente na briga? Condições nós temos, se a pegada for mantida e o grupo se unir em busca de algo maior do que apenas escapar do rebaixamento podemos sim voltar a sonhar com isso.

Porém, ter os pés no chão é fundamental, continuar tratando cada jogo como uma decisão pode futuramente nos colocar em outro patamar no campeonato, a seriedade com que Roberto Fonseca comanda a equipe e que foi passada aos jogadores dentro de campo é o diferencial no momento, não há bola perdida e todos se doam ao máximo pela vitória.

O que o torcedor espera é que isso seja mantido, a próxima partida é dificílima, pois é fora de casa e contra o líder do campeonato, mas o Londrina tem totais condições de buscar mais três pontos na longa caminhada dessa Série B. O torcedor, apaixonado pelo clube volta a sonhar com algo que no momento ainda está distante, mas com a união de todos pode se tornar realidade no fim do ano.

E você, torcedor Alviceleste, ainda acredita que podemos almejar algo maior do que apenas permanecer na Série B?


Opinião: O péssimo primeiro turno do Londrina

Salve Nação Alviceleste!

Terminada a primeira metade do Campeonato Brasileiro Série B e o Londrina entrou na temida zona de rebaixamento, aliado a isso o clube demitiu o treinador Sérgio Soares, que em sete partidas conquistou apenas uma vitória. No geral, o Tubarão fecha o primeiro turno com apenas 21 pontos e 36,8% de aproveitamento, não é preciso ser matemático para entender que é campanha de time rebaixado.

Apenas como comparativo, na temporada 2016, quando terminou a três pontos do acesso, o Londrina fechou o primeiro turno com 28 pontos e 49,1% de aproveitamento, enquanto que na temporada passada, quando apenas dois pontos o separaram do acesso, o clube fez 27 pontos e 47,4% de aproveitamento. Nos últimos dois anos, dos quatro times na zona de rebaixamento ao fim do primeiro turno, três caíram, enquanto que o outro time rebaixado era o primeiro fora da temida zona ao fim da primeira metade.

Talvez um dos principais motivos para a péssima campanha no primeiro turno se deva a quase que frequente troca de treinadores, o LEC vai para seu quarto técnico em apenas 8 meses, não há como ter um trabalho eficiente com uma troca a cada 2 ou 3 meses.

Contudo, não é só isso, o elenco não encaixou ou simplesmente parece não ter qualidade ou principalmente vontade para enfrentar um campeonato disputado como a Série B, o nível técnico não é alto, mas a vontade de subir para a Série A faz diferença. Coisa que não é vista no elenco alviceleste, o retrato do LEC nesse primeiro turno é um time totalmente apático, sem confiança e sem vontade dentro de campo, salvo algumas raras exceções, no futebol nada cai do céu, é preciso buscar a vitória e dividir cada bola como se fosse a vida de cada um que estivesse em jogo.

No segundo turno, além da mudança com a vinda de Roberto Fonseca, que comandará a equipe pela terceira vez na carreira e que como jogador possuía a característica de muita garra e espírito de luta, a postura do time terá que mudar da água para o vinho e peças de qualidade terão que ser contratadas, mesmo em um período complicado para encontrar jogadores assim, o sistema defensivo como um todo e um meia de criação são os principais pontos a serem melhorados, atualmente Dagoberto é quem faz essa função de armar jogadas, tem qualidade pra isso, mas joga praticamente sozinho, pois ao flutuar pelo campo ofensivo (corretamente) e cair pelas pontas para abrir espaços, ninguém faz a função e o time fica totalmente sem jogadas.

Roberto Fonseca (esq.) substitui Sérgio Soares (dir.) no comando técnico do Londrina – Foto: Gustavo Oliveira / LEC

Obviamente que escapar do rebaixamento é o principal objetivo no ano, porém pelo equilíbrio da competição uma sequência de vitórias pode sim fazer com que a equipe volte a sonhar com algo a mais. O Avaí em 2016 fechou o primeiro turno com apenas 23 pontos e a três da zona de rebaixamento, mas fez um segundo turno quase impecável e conquistou o acesso com 66 pontos, já o Londrina na temporada passada, nas últimas 10 rodadas, conquistou 8 vitórias, 1 empate, perdeu apenas 1 vez e por dois pontos não ascendeu para a elite do futebol brasileiro.

Sonhar com algo além de se salvar do rebaixamento é difícil? Muito, porém não é impossível, mas muita coisa deverá mudar para que o torcedor volte a confiar no elenco, os públicos só irão aumentar quando as vitórias voltarem a rotina do Londrina e a paz voltar a reinar, enquanto isso o alviceleste tem muito trabalho pela frente e 19 finais na competição, a começar na próxima sexta contra o lanterna (que medo) Boa Esporte, em Varginha/MG. Que as mudanças sejam significativas e o Tubarão possa voltar a ser um dos protagonistas da competição. Por fim, um recado aos jogadores do Londrina com a parte de uma música da Torcida Organizada Falange Azul, que está ao lado da equipe seja nos momentos bons ou ruins, nós torcedores merecemos respeito, pois somos o bem mais precioso desse clube.

“Honrem nossa camisa, não importa onde for, joguem com muito amor…”


Diego Rocha

Londrinense de corpo, alma e coração, apaixonado por futebol, pela festa nas arquibancadas e principalmente pelo Londrina Esporte Clube.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).

Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail