O que esperar do Londrina em 2019?

Com inúmeros impasses, Tubarão busca ano melhor que o anterior

Salve Nação Alviceleste!

Apesar dos inúmeros impasses quanto ao “fica ou não fica” do gestor para as próximas temporadas, o Tubarão corre contra o tempo para ter um time competitivo para a disputa do Campeonato Paranaense e se reapresenta hoje, o Alviceleste estreia no próximo dia 20 contra o Cianorte, fora de casa. A aposta é em um time mais barato para a disputa do estadual, com vários atletas da base, como o meia Matheus Bianqui e o atacante Uelber, duas promessas e que tem a confiança do treinador Alemão, além do lateral Matheuzinho, recentemente convocado para a Seleção Brasileira Sub20.

O Tubarão contratou os goleiros Matheus Albino (ex-Joinville) e Emerson (ex-Paysandu), o zagueiro Augusto (ex-Santa Cruz), contará também com a volta do já conhecido atacante Weverton, que estava no Brusque/SC e do atacante Luidy, que pertence ao Corinthians e será emprestado ao Alviceleste, porém “perdeu” inúmeros jogadores, como Paulinho Moccelin e Carlos Henrique e também o técnico Roberto Fonseca, que foram para o Novo Horizontino disputar o campeonato paulista, mas de acordo com o gestor, voltam para a série B. O objetivo principal é dar experiência aos mais jovens e tentar encontrar uma espinha dorsal, mantendo jogadores juntos no clube paulista, para a competição mais importante do ano, a Série B.

Alemão (dir.) assumirá o comando do Tubarão no Paranaense – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

Competição essa que após três anos batendo na trave e sempre da mesma maneira, deveria ser tratada com mais seriedade pelo gestor, são três anos idênticos, com o time sendo montado no meio do ano e o Londrina passando por diversos perrengues no início e tendo que correr atrás do prejuízo no decorrer da Série B, o final é sempre o mesmo, ficamos muito próximos do acesso e choramos pontos perdidos por não ter um time competitivo desde o início.

O próprio destaque do Londrina na Série B deste ano, o atacante e artilheiro da competição Dagoberto concedeu algumas entrevistas batendo na mesma tecla, de que um time deve ser competitivo do início ao fim, com a 16ª folha salarial da série B em 2018 fica difícil querer buscar alguma coisa, é um campeonato longo e que exige um elenco de qualidade em busca desse objetivo, inclusive este é outro ponto que incomoda não só o atleta, mas quem os escreve, a “falta de interesse” do gestor em contar com Dagoberto para a próxima temporada, o jogador já acenou diversas vezes que recebeu inúmeras propostas, mas que antes quer ouvir o Londrina e que seu maior desejo é permanecer na cidade, que está adaptado juntamente com a sua família e que vestir a camisa do Londrina se tornou motivo de orgulho para ele, tá na hora do gestor se mexer e qualificar a equipe pra 2019.

O torcedor espera um pouco mais de seriedade, não queremos que a equipe entre em campeonatos apenas para disputar ou se manter na Série B, queremos classificações, acesso e títulos, a própria Copa do Brasil que hoje paga prêmios jamais pagos anteriormente foi praticamente deixada de lado nessa temporada, ser eliminado em casa já na segunda fase por um time que se encontrava mal das pernas como o Ceará e deixar de ganhar uma boa quantia em dinheiro é inadmissível, nessa temporada o adversário da primeira partida é o Americano/RJ, clube recém promovido a elite carioca, avançando o Tubarão encara na segunda fase, em casa, o vencedor do duelo entre Itabaiana-SE e Paraná. A chave conta ainda com Tombense-MG x Sport e Operário-MS x Botafogo-PB, ou seja, com seriedade e principalmente competitividade podemos ir longe na competição e encher os cofres do clube.

Dagoberto aguarda proposta para seguir no Tubarão em 2019 – Foto: Gustavo Oliveira/LEC

A torcida é que 2019 seja um ano bem diferente do que foi 2018, que possamos voltar a gritar “É Campeão” ou ao menos comemorar o acesso a elite do futebol brasileiro, porém o planejamento deveria ocorrer já no início do ano, mas não é isso que aparenta ocorrer, as apostas dos últimos anos não deram muito certo e o LEC ficou sempre próximo dos objetivos, mas ficar próximo também não faz com que a gente comemore título ou acesso, resta ao torcedor torcer por um time competitivo nos diversos campeonatos que disputará e cobrar, caso isso não aconteça.

Diego Rocha

Londrinense de corpo, alma e coração, apaixonado por futebol, pela festa nas arquibancadas e principalmente pelo Londrina Esporte Clube.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail