Já passou da hora da reação

Salve Nação Alviceleste!

A fase não é nenhum pouco boa, o Londrina não sabe o que é vencer a 1 mês exato, quando bateu o São Bento em Sorocaba, por 1×0, gol de Dudu. No ano, já são três treinadores e um time que até agora não encontrou um estilo de jogo próprio. O torcedor se afastou da equipe e públicos cada vez mais vergonhosos são registrados no Estádio do Café.

Futebol é feito de resultados e se isso não acontece é natural que o torcedor fique mais receoso de gastar dinheiro e ir acompanhar um time que não mostra reação alguma. O gestor do clube, Sérgio Malucelli, simplesmente sumiu nas últimas semanas, parece assumir a culpa da má campanha do clube, atletas contratados e que estão muito longe de ajudar a resolver, clima ruim, três treinadores num curto espaço de tempo parecem ter tirado totalmente as chances do clube de conquistar o objetivo dito pelo próprio gestor, que afirmou estar montando um time para subir para a Série A.

O que se vê dentro de campo é totalmente o oposto, o Londrina hoje é o primeiro clube fora da zona de rebaixamento e se encontra bem longe da zona de classificação para a Série A, para o torcedor, que a cada dia se distancia mais do clube e muito se deve a relação que o próprio gestor leva entre clube e torcida, fica a pergunta do que está acontecendo. A união, que nas últimas temporadas fez com que o time que era cotado como limitado, brigasse pelo acesso, parece não estar presente nessa temporada, a relação esfriou e parece estar bem distante de esquentar novamente.

Dagoberto é uma das esperanças de reação no Londrina – Foto: Gustavo Oliveira / LEC

O torcedor merece um time que lute e honre a camisa que está representando, que entre em campo e busque a vitória para tirar a equipe dessa situação, raros são os jogadores que demonstram estar incomodados com a atual situação e é principalmente isso que tem que mudar, temos time para ao menos ficar no meio da tabela e não para conviver com o fantasma do rebaixamento.

A reação tem que ser imediata e amanhã contra o Oeste no Estádio do Café, o Londrina tentará se afastar da zona de rebaixamento e voltar ao caminho das vitórias e conta com a volta de Dagoberto, que em 41 minutos em campo têm dois gols, uma expulsão e uma lesão muscular, que a experiência e qualidade do atleta possa ajudar o clube na partida, talvez duas ou três podem fazer o time embalar na competição, que ainda tem muito a acontecer, mas a postura tem que mudar, senão nuvens negras continuarão pairando sobre o Alviceleste.


Análise: As cinco primeiras rodadas da Série B

Salve Nação Alviceleste!

Prestes a iniciar a 6ª rodada da Série B, resolvi fazer uma análise deste início de competição do Londrina, foram duas partidas como mandante e três como visitante, um retrospecto com 2 vitórias, 2 empates e 1 derrota, o Alviceleste se encontra na 9ª posição, com 8 pontos ganhos, abaixo um breve resumo das cinco primeiras partidas do Tubarão na competição.

Londrina 1×0 Boa Esporte: Estreia em casa e depois de dois anos o LEC conseguiu vencer no início da competição, o Tubarão mandou na partida, desperdiçou oportunidades (inclusive um pênalti) e coube a estrela de Dagoberto brilhar e dar a vitória ao Londrina, três pontos importantes principalmente pelo nervosismo da estreia, mas que eram obrigatórios, visto que a equipe do Boa Esporte com certeza brigará contra o rebaixamento, sendo talvez a pior equipe da competição.

 

Torcida do Londrina no estádio do Café / Foto: Gustavo Oliveira – LEC

Paysandu 1×0 Londrina: Única derrota do Londrina até aqui, mas que poderia ter tido outro resultado, o Alviceleste controlou as ações da partida e teve chances de abrir o placar, porém após paralisação de alguns minutos por falta de energia, o Londrina continuou apagado e no primeiro ataque do Paysandu a equipe da casa marcou o gol da vitória, o LEC bem que tentou mudar o panorama da partida, mas o Papão conseguiu suportar a pressão e garantiu a vitória. O Londrina tinha totais condições de conseguir no mínimo um empate frente a uma equipe tecnicamente fraca e que não deve ter forças para continuar na parte de cima da tabela.

Ponte Preta 0x1 Londrina: Vitória na base da superação, o Londrina não fez uma boa partida, que na verdade foi fraca como um todo para ambas as equipes, coube a Patrick Vieira após jogada de bola parada estufar as redes da equipe campineira e garantir três importantes pontos para o Alviceleste. A Ponte Preta, recém-rebaixada da Série A, tem condições de brigar pelo acesso, além de ser sempre muito difícil jogar no Moisés Lucarelli, três pontos importantíssimos e contra um adversário direto na briga pelo acesso.

Londrina 1×1 Fortaleza: Com certeza a partida contra o adversário mais qualificado até aqui e talvez o mais qualificado do campeonato, a equipe nordestina tem um ótimo time e com certeza brigará pelo acesso e até mesmo pelo título, o Londrina começou pressionando e marcou logo no início, ao torcedor que imaginou uma fácil vitória a mesma se transformou num drama, o Londrina parou na boa marcação adversária e recuou dando muito espaço para criação de jogadas do Leão, que empatou ainda na primeira etapa e teve chances de virar o marcador, no fim da partida um importante ponto que pelas circunstâncias foi comemorado como vitória.

Atlético/GO 0x0 Londrina: O reencontro do Londrina com Cláudio Tencati, treinador que por mais de sete anos comandou o Alviceleste, porém a partida foi sem inspiração de ambos os lados, um Atlético/GO muito fraco tecnicamente e um Londrina que não conseguia criar jogadas de gol, talvez na única delas Dalberto perdeu gol incrível e desperdiçou a chance de uma importante vitória, coube ao Alviceleste se contentar com mais um ponto fora de casa.

A campanha até aqui é boa, melhor do que nos últimos anos quando ao final da competição o Alviceleste ficou muito perto do acesso, porém falta ao Londrina o sistema ofensivo aproveitar melhor as oportunidades, a defesa se mostrou muito firme e muito bem representada, devendo fazer mais uma sólida temporada, mas o ataque ficou devendo nesse início, tanto que em busca dos gols o Londrina até antecipou a chegada de Felipe Marques (ex-Remo e que só chegaria em junho) e de forma que aliada a volta de Dagoberto (ainda lesionado) espera-se que o problema dos gols seja solucionado, não podemos mais uma vez deixar o acesso escapar por ter um ataque ineficiente.

As últimas campanhas credenciam o Londrina a ser um dos favoritos ao acesso e com o futebol apresentado até aqui nos solidificamos como um dos postulantes a fazer parte da elite nacional, fazer o dever de casa e conquistar pontos fora é a fórmula nada secreta de estar na elite na próxima temporada e o Tubarão tem feito isso na atual temporada, a próxima partida será no sábado (19) no Estádio do Café contra o CSA, partida que relembra a final da Taça de Prata de 1980, em que o Londrina venceu por 4×0 e conquistou-a (atual Série B), que as lembranças possam dar sorte ao Tubarão para que mais três pontos sejam creditados a nossa campanha, sábado todos os caminhos levarão ao Estádio do Café, vamos juntos levar o Londrina para a Elite nacional.


Do “Caçula-Gigante” ao “Destemido Tubarão”

Salve Nação Alviceleste!

Dia 05 de abril de 1956, exatos 62 anos atrás e surgia o Londrina Futebol Clube, que posteriormente se transformaria no Londrina Esporte Clube, em sua vitoriosa história estão títulos como a Taça de Prata de 1980 (atual Série B), a Copa da Primeira Liga, recente conquista contra grandes clubes do futebol brasileiro e quatro títulos estaduais (1962, 1981, 1992, 2014), bem como inúmeros momentos marcantes e que estão até hoje na memória do torcedor alviceleste.

Podemos lembrar (os mais jovens podem ver alguns vídeos no youtube, hahaha) da brilhante campanha de 1977/1978 na Série A, temporada na qual nasceu o “Tubarão”, ou do “abusado” Paulinho Canhão de Pinhal que beijou a taça de prata após marcar o terceiro do Alviceleste contra o CSA na decisão, ou comemorar junto ao gol de cabeça de Carlos Alberto Garcia, o bem-amado, contra o Grêmio Maringá, que nos deu o segundo título estadual. Se arrepiar relembrando o gol de Márcio Alcântara quase no último lance em 1992 contra o União Bandeirantes e que levou a decisão para a terceira partida, onde João Neves marcou e o Londrina se sagrou tricampeão paranaense.

São inúmeros momentos, como o “fantástico” gol do meia Nem contra o Iraty no VGD, gol que nem Pelé foi capaz de fazer, ou na virada histórica contra o Atlético/PR em 2014 e posterior título estadual decidido de forma dramática nos pênaltis contra o Maringá na casa do freguês, aos mais jovens a pele arrepia ao se lembrar da partida contra o Cruzeiro na semifinal da Primeira Liga, com gol nos acréscimos e vitória nos pênaltis, ou então a própria decisão nos pênaltis contra o Atlético/MG e que nos deu novamente um título de nível nacional.

Foto: Internet

Se fosse ficar citando todos os belos momentos da vitoriosa história do Londrina seria necessário escrever um livro, o objetivo deste texto além de homenagear de forma singela o Londrina é o de incitar o amor que cada torcedor sente por esse clube, por sua história e principalmente por se sentir parte do clube, pois tudo que foi conquistado pelo Londrina contou com a participação especial e fundamental do torcedor, ao completar mais um ano de vida é impossível que um “filme” relembrando tais momentos não passe pela cabeça do torcedor.

Assim como o mais belo hino diz “Caçula-gigante nasceste e hoje és o destemido Tubarão” e se fez assim por sua brilhante torcida que não te abandona jamais, um clube que após passar por momentos difíceis com más gestões, ressurgiu e hoje é novamente respeitado no cenário nacional, sendo apenas questão de tempo (espero que em 2019 estejamos lá) voltar à elite do futebol nacional.

Foto: Internetlec

Parabéns a um dos mais tradicionais clubes do país, parabéns a você torcedor, que nunca o abandonou e o fez voltar mais forte, parabéns a todos que de alguma maneira engrandeceram a história desse clube, enfim, parabéns Londrina Esporte Clube, você me orgulha a cada dia e me faz te amar cada vez mais, que tenha um brilhante futuro, cheio de conquistas e que faça seu torcedor continuar se orgulhando dessa camisa branca e azul que tanto já fez história, para nós tu serás sempre campeão.

E para você, torcedor alviceleste, qual outro momento marcou a sua história com o Londrina?


O sonho permanece vivo

Salve Nação Alviceleste!

Que quarta-feira emocionante hein? O Tubarão atropelou o Rio Branco por 4×1, contou com os tropeços de Toledo e União e se classificou para a semifinal da Taça Caio Júnior, o adversário será o Paraná Clube em partida única no próximo domingo na capital, quem vencer avança, em caso de empate a vaga na final será decidida nos pênaltis.

Quanta coisa mudou nos últimos quinze dias, um time que passou de desacreditado e ameaçado pelo rebaixamento para um dos classificados para a semifinal da Taça Caio Júnior, a chegada de Marquinhos Santos deu novo rumo a vida do Tubarão, mas não é apenas o status de desacreditado para classificado que mudou, a postura em campo é totalmente diferente do início do campeonato.

O treinador (esse de verdade) conseguiu em duas semanas fazer o que o anterior não conseguiu em alguns meses, dar cara a equipe e fazer com que os jogadores saibam desempenhar suas funções da melhor maneira possível. O Londrina que vimos em campo principalmente contra Atlético/PR e Rio Branco mostrou uma incrível capacidade defensiva, um meio campo que conseguiu flutuar e criar inúmeras chances de gol e um ataque capaz de finalizar com qualidade, tanto que os quatro gols marcados ontem foram por atacantes.

Wesley marcou três gols na goleada do Tubarão contra o Rio Branco – Foto: Gustavo Oliveira / Londrina EC

Como o próprio treinador destacou em entrevista, “coletivamente o Londrina é um time compacto, que saber jogar pelos lados, tem suas transições rápidas e consegue jogar verticalmente buscando o gol”, o treinador elogiou muito a equipe, mas manteve os pés no chão e sabe que pode evoluir ainda mais, o que deixa o torcedor otimista para a sequência da competição e futuramente para a Série B.

Sabe aquela história de que se deve matar uma cobra quando há chance, pois, se ela permanecer viva pode te picar posteriormente? Pois bem, tiveram chances de nos eliminar, mas estão deixando a gente sonhar e o Londrina quando chega após uma situação como essa se torna ainda mais forte e difícil de segurar.

O Alviceleste cresce no momento certo do campeonato e tem tudo para repetir 2014, ano do último título estadual, quem não se lembra da classificação na última rodada (também ameaçado de rebaixamento) e a ascensão até o título contra o Maringá em pleno Willie Davids? Ótimas lembranças, não é? Maringá esse que também está classificado e disputará a outra semifinal, quem sabe a decisão da Taça Caio Júnior seja contra nosso freguês? É possível, o Tubarão tem totais condições de vencer o Paraná e buscar o título desta taça, para posteriormente lutar contra o Coritiba pelo pentacampeonato.

Ao torcedor, o momento é de agradecimento ao novo comandante Marquinhos Santos que mudou completamente o astral da equipe e está sabendo tirar o melhor de cada atleta, além de se unir, torcer, apoiar e acreditar no Tubarão em busca de mais um título estadual, juntos somos muito mais fortes.

Vamos Pra Cima Tubarão. Eu Acredito.

 


Até nunca mais Ricardinho

Salve Nação Alviceleste!

Após mais uma derrota e muita pressão, o Londrina anunciou a saída do pseudo-treinador Ricardinho. Foram dez partidas e apenas duas vitórias, sendo uma delas contra o quase amador Real Ariquemes/RO, muito pouco para um clube que se acostumou a conquistas e grandes partidas.

Ricardinho disse em sua coletiva de despedida que “Infelizmente, quando não vem o resultado, não existe alegria.” E eu pergunto, como teria algum resultado, consequentemente alegria, se a única coisa que o mesmo sabia fazer era reclamar da qualidade do elenco ou botar a culpa em quem joga? Óbvio que os resultados em campo não são de exclusiva responsabilidade dele, mas ser humilde em reconhecer que tanto ele, quanto jogadores estavam devendo faz com que o erro possa ser mais facilmente encontrado e corrigido.

A falta de experiência e qualidade profissional, aliada a pressão em substituir Claudio Tencati pesou e muito, justamente pois o clube se acostumou a brigar por títulos e com um paranaense de nível técnico medíocre o mínimo que o torcedor esperava era de lutar por classificações e não contra o rebaixamento. Ao meu ver a saída de Ricardinho demorou a acontecer, era evidente que os jogadores não assimilaram bem o seu jeito “arrogante” de encarar os problemas, agora uma classificação para a semifinal está bem distante e a luta contra o rebaixamento virou o foco nesta temporada.

A saída do pseudo-treinador não resolverá todos os problemas, o elenco é fraco e necessita de peças de qualidade, mas será que um novo mundo não pode surgir com essa saída? Espero acreditar que sim. A temporada por enquanto é uma catástrofe, estamos eliminados da Copa do Brasil e praticamente jogamos fora o estadual, além da agora incessante busca por um novo treinador (o nome de Marquinhos Santos, ex-Coritiba, está cada vez mais forte nos bastidores) que terá pouco tempo para acertar a equipe para uma Série B que promete ser bem complicada, ainda mais após todo o tempo perdido com o pseudo-treinador que não conseguiu dar um padrão de jogo ao time, com isso estamos a alguns passos atrás dos nossos adversários.

Foto: Gustavo Oliveira / LEC

O momento no Alviceleste é crítico, apenas um ponto o separa da zona de rebaixamento e a próxima partida é contra o União de Francisco Beltrão, primeira equipe na área de descenso. Apesar disso, o momento é de união, torcedor faça a sua parte, vá ao estádio, se estamos cansados de jogadores e treinadores sem identificação com a nossa camisa, juntos podemos fazer a diferença e tirar o Londrina dessa situação, o nosso clube está acima de qualquer um, a próxima partida é importantíssima e toda ajuda será bem-vinda.


O futebol do Londrina está desaparecido

Salve Nação Alviceleste!

Mais uma partida sem ousadia, sem qualidade, sem organização, sem futebol e sem qualquer comando técnico. Parece um roteiro repetido, mas essa é à tona dos jogos do Londrina em 2018, o futebol do time que por muito pouco não subiu para a Série A ano passado parece ter sido perdido pelo caminho, definitivamente o Londrina ainda não estreou em 2018.

A eliminação? Justíssima, o Londrina não criou absolutamente nada nos 90 minutos, o gol saiu depois de uma bola rebatida que germano ajeitou de cabeça e caiu nos pés de Carlos Henrique, que não desperdiçou a chance, o pênalti foi através de jogada individual do centroavante Alviceleste, onde a bola bateu na mão do defensor cearense e que infelizmente Germano não foi feliz no arremate.

O Ceará foi completamente superior e mandou na partida, teve inúmeros espaços e conseguiu finalizar várias vezes com perigo, e é aí um ponto (na verdade todos) que discordo da entrevista do senhor Ricardinho após a partida, o treinador Alviceleste analisou que sua estratégia deu certo e que os gols da equipe nordestina partiram de bolas paradas, mas que no resto do jogo o Londrina soube anular as principais jogadas trabalhadas do adversário, qual partida Ricardinho assistiu? Pois, na que eu vi fomos totalmente envolvidos e sofremos muito na marcação de tais jogadas.

O descontrole emocional em campo também ficou evidente, um time nervoso e que não conseguia acertar passes relativamente simples, talvez isso se explique pela quantidade de jogadores inexperientes no elenco, na partida de ontem apenas Dirceu e Germano possuem grande experiência em competições nacionais, isso que nem Germano conseguiu manter a cabeça no lugar e foi expulso de maneira infantil, após cometer duas faltas praticamente seguidas, porém a maior parte dos jogadores, incluindo as recentes contratações, são apostas e promessas, incluídos jogadores que não possuem sequer dez partidas como profissionais, atletas que deveriam apenas compor elenco e não ter responsabilidade de decidir partidas.

O mínimo em casos como esse, é haver um treinador experiente do lado de fora, alguém vencedor na profissão e que saiba passar tranquilidade e principalmente ajude no amadurecimento desses jovens atletas, o que não acontece com Ricardinho, a todo momento parece “não saber o que fazer” na beira do campo, não conseguiu até agora definir um esquema tático e um padrão de jogo ao time e o que o torcedor vê é uma equipe totalmente apática, com jogadores perdidos em suas mais básicas funções e até fora de suas posições de origem, o que acaba por “queimar” um garoto da base ao ser colocado numa fogueira como essa.

A eliminação na Copa do Brasil não é dolorosa apenas pela grande quantia em dinheiro “jogada fora”, mas também por ver que o tal planejamento para a temporada foi feito de maneira totalmente amadora, atletas que necessitam de experiência para serem “atores principais”, chegaram como os grandes salvadores da pátria. Na minha opinião a culpa nem é de tais jogadores, que como eu disse precisam de apoio e auxílio em seu amadurecimento profissional, mas sim de quem os comanda e principalmente de quem “planejou” tudo isso, alguns atletas não tem a mínima capacidade para vestir a camisa do Londrina, planejamento barato que as vezes custa caro, com eliminações e dinheiro perdido, o que obviamente é ruim financeiramente tanto para o clube, quanto para a empresa gestora.

O LEC nos últimos anos conquistou muita coisa dentro e fora de campo, isso não há de se reclamar, porém com um pouco mais de investimento e planejamento poderíamos estar na primeira divisão nacional e ter avançado não apenas esse ano, mas em outros anos em fases seguintes da Copa do Brasil, trazendo cada vez mais lucros para clube/empresa.

O Alviceleste terá agora em torno de dez dias até o início do segundo turno do paranaense, a pressão será ainda maior e o Londrina tem a obrigação de estar entre os quatro classificados para a semifinal, do contrário acredito que a situação do treinador e de alguns jogadores será insustentável. Cabe ao torcedor agora rezar para que as coisas mudem, o gestor Sergio Malucelli já adiantou que uma lista de dispensas será divulgada, porém chegar novamente na porta da série B sem formar um time, fará com que mais uma vez o LEC perca tempo no meio da competição em busca de entrosamento e pode custar caro ao fim da Série B, com a “falta de evolução” do time a luz no fim do túnel está cada vez mais longe.

Ricardinho chegou a ser demitido pelo gestor, que de cabeça mais fria voltou atrás na decisão. Foto: Gustavo Oliveira / LEC

Qual a sua opinião, torcedor alviceleste, de quem é a culpa pelas recentes eliminações? O que seria necessário fazer para que o ambiente Alviceleste mude e o torcedor volte a ter alegrias? E sem me esquecer, se encontrar o futebol do Londrina, ligue para (43) 3322-9756 ou (43) 3322-9691 e avise imediatamente.

 


A paciência acabou

Salve Nação Alviceleste!

Com apenas uma vitória em seis partidas neste primeiro turno e apresentando um futebol de dar sono, o Londrina viu a chance de jogar as semifinais da Taça Dionísio Filho acabarem ao ser derrotado pelo Cascavel, na última quarta-feira, aliado a campanha Alviceleste está o medíocre nível técnico do campeonato, o que deixa o torcedor ainda mais nervoso.

Das contratações feitas no início do ano, nenhuma mostrou ao que veio, se para um campeonato tão ruim quanto o paranaense ninguém se destacou, será que tais reforços serão a salvação num campeonato como a série B? Creio que não. Diante disso, muitas mudanças deverão ocorrer, porém nas duas últimas temporadas vimos que montar um elenco próximo a série B fez com que o Londrina perdesse pontos bobos até que houvesse o “encaixe” e perdido a chance de acesso.

O treinador Ricardinho até agora não conseguiu colocar o Londrina nos eixos e muito menos se mostrou preparado para assumir uma equipe que se acostumou a brigar por coisas maiores nos campeonatos que disputa, terá que se reinventar e mostrar que está capacitado para talvez o maior desafio de sua carreira.

Foto: Gustavo Oliveira / LEC

O torcedor perdeu a paciência muito pela falta de vontade demonstrada nas últimas partidas, um time sonolento, sem criação alguma, desorganizado e que está muito longe do nível técnico ideal, o tempo está passando e é bom o Alviceleste entrar nos trilhos ou a “paz” se verá longe do ambiente do Londrina.

Contudo, o Tubarão não terá tempo para lamentações e a mudança de postura terá que ser para ontem, pois na próxima quarta-feira (21) o Tubarão recebe o Ceará pela 2ª fase da Copa do Brasil, o regulamento da competição prevê partida única e em caso de empate disputa por pênaltis, uma eliminação com certeza traria ainda mais consequências negativas ao elenco e comissão técnica, além de perda financeira enorme.

Durante os 90 minutos não faltará apoio das arquibancadas, porém o torcedor deseja que os jogadores honrem nossa camisa e joguem por cada um que ama esse clube, do contrário a paz irá acabar e a pressão será ainda maior, respeitem o bem mais precioso desse clube, nós torcedores e como diz um canto da Torcida Organizada Falange Azul:

“Honrem nossa camisa, não importa onde for, joguem com muito amor…”


Opinião: A primeira vitória em 2018

Salve Nação Alviceleste!

O Londrina estreou em casa no Campeonato Paranaense e venceu o Maringá por 2×0, gols de Germano e Luizão. Com o resultado o Alviceleste chegou aos quatro pontos, na segunda posição no grupo B, atrás apenas do Atlético/PR que venceu as duas partidas e possui seis pontos.

O que o torcedor pôde ver de perto nessa primeira partida em casa foi um time que soube valorizar a posse de bola, no início até foi sufocado pelo Maringá e teve certa dificuldade em sair jogando, porém, ao marcar primeiro administrou bem a partida, ampliou e teve inúmeras chances de aumentar o placar, principalmente com Carlos Henrique.

Esse ao meu ver, a peça mais fraca do Tubarão na partida, diferentemente da defesa que fez muito bem o seu papel e não deu espaços ao ataque maringaense, do meio campo que foi firme e dominou amplamente o adversário e do resto do setor ofensivo que criou várias oportunidades de gol, o centroavante Alviceleste se mostrou bem abaixo dos companheiros, parece até que estava em outro mundo, será que a possível proposta do Rio Ave (equipe portuguesa) mexeu com o atleta?

O centroavante segurou muito a bola, reclamou demais e perdeu ótimas oportunidades de ampliar o placar, resumindo, quis resolver tudo sozinho e com a habilidade que ele acha ter (mas não tem) e em minha modesta opinião foi o pior do Londrina na partida, se jogar para o time tem tudo para se dar bem no ataque londrinense e marcar muitos gols, pois é oportunista.

O Londrina tem tudo para melhorar no decorrer da temporada, o time ainda está se encaixando e peças como os laterais Matheuzinho e principalmente Felipe, serão extremamente importantes no restante da competição e da temporada, a utilização de atletas da base (com a qualidade que apresentaram) no time profissional do Londrina demonstra a seriedade e qualidade dos atletas das categorias de base do Tubarão, que com certeza colherá ótimos frutos no futuro.

A vitória (e principalmente, como foi a vitória) confirma o Londrina como um dos favoritos ao título da competição, pois o time mostra amadurecimento e crescimento em um período em que o técnico Ricardinho ainda está dando sua cara para a equipe e o entrosamento dos atletas e a questão física (ritmo de jogo) ainda não chegou ao patamar que poderá chegar. O Tubarão vem muito forte para a temporada 2018, que promete ser de muitas alegrias para a torcida londrinense.

E você, torcedor Alviceleste, o que achou da atuação do Londrina nesta primeira partida em casa? Quais os pontos positivos e os negativos dessa vitória?

Foto: Gustavo Oliveira / LEC


Opinião: O que esperar do Londrina para 2018?

Salve Nação Alviceleste!

O Londrina voltou aos trabalhos e apresentou nada mais, nada menos do que sete reforços para a temporada 2018, são eles: o zagueiro Vinícius Del’Amore (do Corinthians), o volante Moisés (do Grêmio), os meias Thiago Primão (ex-Coritiba e Santa Cruz) e Alex (do Cruzeiro) e os atacantes Caíque (ex-Atlético-PR e RB Brasil), Keirrison (que volta ao clube após passagem em 2016), e Wesley (da Inter de Limeira), além de ter fechado a contratação do atacante Gustavo Tocantins (ex-Corinthians e que estava no Estoril-POR), porém esse ainda não foi apresentado.

Foto: Reprodução RPC

A temporada 2018 será longa, o Tubarão terá a Copa do Brasil, Campeonato Paranaense, Brasileiro Série B e Copa da Primeira Liga. Os reforços chegam para suprir carências vistas nos anos anteriores e perdas após o fim da última temporada. Diante de tantas mudanças, uma em especial, Ricardinho assumiu o comando técnico da equipe e terá enorme pressão por substituir o ex-treinador Tencati, que colecionou títulos e acessos com a equipe.

Essa para mim é a principal interrogação nesse “novo time” que deveremos ver na curta pré-temporada antes da estreia no paranaense, dia 21, contra o Foz do Iguaçu na fronteira, muito devido ao fato do novo treinador ter pouca experiência na profissão, o desafio para ele será enorme. Em 2018 o Londrina tentará ir mais longe na Copa do Brasil, competição que foi precocemente eliminado em 2017, visto que o torneio pagará quantia recorde em premiações, diante disso, o Alviceleste foi atrás de reforços já para o início do ano.

Contudo, a principal competição ao meu ver segue sendo o Brasileiro da Série B. Depois de ficar a três pontos do acesso em 2016 e a apenas dois no ano passado, o Tubarão tem tudo para não deixar a vaga entre os quatro melhores escapar, tem experiência, sabe os pontos em que precisa melhorar e principalmente onde não pode errar. Além do que, ao que tudo indica, o gestor do clube entendeu que montar a equipe no meio da competição faz com que pontos preciosos fiquem pelo caminho, os reforços vem para “encaixar” já no começo do ano e deixar apenas contratações pontuais para a competição nacional.

Das contratações para a temporada chama a atenção o nome de Keirrison, que volta ao clube após passagem em 2016. No ano em questão, o atleta chegou sob críticas e muita desconfiança, mas conquistou seu espaço e marcou oito gols. O atleta possui na carreira muitos altos e baixos, mas foi no Londrina que teve seu melhor momento desde 2009, K9 (ou K99 como foi no Londrina) tem qualidade e conhece o caminho das redes, tenho certeza que com sequência poderá ajudar muito no ataque alviceleste.

Foto: Londrina Esporte Clube

Os desafios na temporada serão enormes para o Londrina, porém embalados pelo título da Primeira Liga e a boa campanha na Série B, a empolgação e principalmente a expectativa da torcida londrinense são ainda maiores. O trabalho dentro de campo começará praticamente do zero (com o novo treinador) e o Tubarão deverá se adaptar o mais rápido possível ao “novo”. Mas com a seriedade tradicional, pés no chão e muito trabalho, o Londrina tem tudo para novamente ter um ano espetacular, quem sabe até com acesso e títulos.

E para você, torcedor alviceleste, o que esperar dos reforços e da temporada do Londrina?


Londrina enfrentará Real Ariquemes/RO na Copa do Brasil 2018

Saaalve Nação Alviceleste!

Em sorteio realizado na tarde desta sexta-feira (15), foi definido que a equipe do Real Ariquemes/RO será a adversária da estreia do Tubarão na Copa do Brasil em 2018. O Londrina ficou na chave 1, que conta ainda com Atlético/PR, Caxias/RS, América/RN, Tubarão/SC, Brusque/SC e Ceará/CE.

A primeira fase conta com confrontos em partida única na casa do clube menor ranqueado, neste caso o Londrina terá que cruzar o país para enfrentar a equipe rondoniense. Caso se classifique, o Tubarão fará a partida da segunda fase em casa, também em partida única (sorteio anteriormente realizado) contra o vencedor de Ceará/CE x Brusque/SC. A partir da terceira fase os confrontos passam a ser em partidas de ida e volta, tendo neste ano apenas uma alteração no regulamento, onde os gols feitos fora de casa não contam como desempate.

O campeão da Copa do Brasil receberá 50 milhões e o vice-campeão ficará com 20 milhões de reais, apenas à título de comparação o Cruzeiro, campeão da edição de 2017, recebeu cerca de 6 milhões de reais. Além disso, a equipe que conquistar a taça, somando as premiações de fases anteriores receberá cerca de 68 milhões de reais apenas em prêmios, com certeza uma motivação a mais para os clubes.

Opinião
Sabemos o que aconteceu nesta temporada, eliminação vexatória para uma equipe do Tocantins, agora teremos pela frente o Real Ariquemes/RO, no qual eu nunca ouvi falar, porém são nessas partidas que a zebra adora passear. Pés no chão, planejamento e seriedade serão fundamentais para que o ano de 2018 do Londrina na competição seja muito melhor, a chave 1 é equilibrada, a equipe melhor ranqueada é o conhecido Atlético/PR, o Tubarão tem tudo para conquistar bons resultados e se firmar ainda mais no cenário nacional. Cabe ao Londrina realizar uma ótima pré-temporada e desde o início do ano entrar com seriedade, foco e respeito pelos adversários, desta forma podemos ir longe na competição.

E você, torcedor alviceleste, o que achou do sorteio? Conhece o adversário do Tubarão?

Wellington Ferrugem


Diego Rocha

Londrinense de corpo, alma e coração, apaixonado por futebol, pela festa nas arquibancadas e principalmente pelo Londrina Esporte Clube.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).

Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail