Ano do Tubarão foi de eliminação vexatória à título nacional

Saaalve Nação Alviceleste!

Chegou a hora de relembrar a temporada 2017 do Londrina Esporte Clube. O que deu certo? O que deu errado? O Alviceleste teve altos e baixos no ano, mas conseguiu fincar a bandeira azul e branca no cenário nacional e mostrar definitivamente que o Tubarão Voltou.

Foto: Londrina Esporte Clube/Gustavo Oliveira

Campeonato Paranaense
O Tubarão fez (como quase sempre) uma primeira fase complicada, a classificação chegou a ficar ameaçada, mas o Londrina garantiu a 5ª colocação, nas quartas de final contra o J. Malucelli derrota em casa por 3×1, contudo o time da capital foi condenado por escalação irregular do atacante Getterson e acabou eliminado (também rebaixado), com isso o Rio Branco cruzou o caminho Alviceleste, nova chance para o Tubarão, que não perdeu a oportunidade e se classificou para as semifinais. O adversário foi o Atlético/PR que mesmo jogando com a equipe sub23 se deu melhor e se classificou nos pênaltis para a decisão. Restou ao Londrina a disputa do título do interior frente ao Cianorte, após vitória por 4×1 no Estádio do Café e empate em 1×1 no Albino Turbay, o Alviceleste conquistou seu quarto título.

Copa do Brasil
Com novas regras, pela primeira vez as fases iniciais da competição contaram com jogo único e vantagem do empate para a equipe visitante (melhor rankeada), porém nem isso foi capaz de espantar a zebra que passeou no Estádio Gilberto Resende em Gurupi/TO, o Londrina foi eliminado de forma vexatória pela equipe da casa, contudo é melhor não entrar em detalhes, pois já começa a me dar aquela dorzinha no coração, vamos relembrar outros momentos.

Campeonato Brasileiro Série B
Embalado pela excelente campanha do ano anterior, na qual terminou na sexta colocação, o Londrina iniciou a Série B sonhando com o acesso, contudo os tropeços em casa, principalmente no primeiro turno e a demora por entrosamento devido as várias trocas no meio da temporada custaram caro para o Tubarão, que lutou bravamente até a penúltima rodada (assim como no ano anterior) e fechou sua participação na competição em quinto lugar, o que mostra a consolidação do trabalho desenvolvido no clube, lutar por dois anos seguidos por uma vaga na Série A e chegar tão próximo do objetivo mostra que o torcedor logo será presenteado com o acesso. O Londrina teve ainda o melhor ataque da competição (um dos melhores do país) com 56 gols marcados. Porém sofreu com sua defesa, que demorou a se acertar e foi a 6ª pior da Série B, com 46 gols sofridos. Tenho a certeza de que o trabalho desenvolvido, muito diferente do habitual no futebol brasileiro e principalmente a estruturação que ocorre no clube fará com que o Londrina conquiste muitos títulos e se transforme em um dos grandes clubes do futebol brasileiro num futuro não tão distante.

Primeira Liga
Ahhhhh Primeira Liga, é impossível não se arrepiar enquanto as memórias dessa competição passam pela minha cabeça e aceleram o meu coração. O Londrina entrou na competição como convidado de última hora, enfrentou Figueirense, Avaí e Paraná Clube na primeira fase e venceu os três. O clima pela competição nacional começou frio, porém a cada vitória a empolgação do torcedor alviceleste fez com que o clima esquentasse exponencialmente, como fez a melhor campanha da primeira fase, o Alviceleste conquistou o direito de decidir em casa (jogo único) as fases seguintes, nas quartas de final um grande clube do futebol brasileiro pela frente, o Fluminense/RJ, porém a equipe carioca não foi páreo e ficou pelo caminho, na semifinal um dos jogos mais emocionantes da história do Londrina Esporte Clube, o gigante Cruzeiro vencia por 2×0 até os 36 minutos da etapa final, mas empurrado por mais de 17 mil torcedores que fizeram o café ferver, o Londrina diminuiu, buscou o empate aos 50 minutos e se classificou nos pênaltis, com o goleiro César (até então contestado) sendo herói ao defender três cobranças da equipe mineira. Na decisão outro gigante, o Atlético/MG, mais sofrimento e nova decisão por pênaltis, assim como na semifinal brilhou a estrela de César, que defendeu dois pênaltis e ajudou o Tubarão a conquistar o segundo título nacional de sua história, festa em um Estádio do Café lotado, alegria para o torcedor que não viu em nenhum momento da competição o Alviceleste baixar a cabeça para os grandes do futebol brasileiro, pelo contrário os enfrentou de igual para igual e conquistou o título de forma invicta.

Foto: Douglas Estevam

Menção honrosa para a torcida do Londrina, que foi fundamental na conquista do título, sendo o 12º jogador na competição, ao torcedor que cantou, gritou, empurrou e vibrou com a conquista, o título é seu, juntos nós fizemos história e temos muito mais para conquistar, caminhando lado a lado fazemos o Londrina Esporte Clube ser muito mais forte.

Temporada 2018
Pouco se sabe sobre a próxima temporada, no momento o clube sofre principalmente com as saídas de Artur (volta do empréstimo para o Palmeiras) e Ayrton (volta de empréstimo para o Fluminense), além de saídas como a de Edson Silva, Negueba, Bidia, Ricardinho, entre outros, com isso fica evidente que a reformulação deverá ser quase que total, porém a principal perda está no banco de reservas, após sete temporadas chega ao fim a “Era Tencati”, o treinador Cláudio Tencati seguirá sua carreira em outro clube, ainda não divulgado, para seu lugar o Londrina contratou Ricardinho (pentacampeão do mundo com a seleção brasileira), a pressão será grande, pois o torcedor se acostumou com conquistas nos últimos anos e substituir alguém que ajudou a reconstruir o clube dentro de campo não será nada fácil, de toda forma resta ao torcedor desejar boa sorte ao novo comandante para que a nova era no Tubarão seja ainda mais vitoriosa e que venha 2018.


Diego Rocha

Londrinense de corpo, alma e coração, apaixonado por futebol, pela festa nas arquibancadas e principalmente pelo Londrina Esporte Clube.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).

Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail