Londrina conclui venda da SAF para Squadra e time se torna empresa

Apesar de ser tratada como venda, o contrato prevê apenas promessas de investimentos no futebol.

Imagem: Reprodução

O Londrina Esporte Clube (LEC) anunciou, nesta sexta-feira (7), que finalizou o processo de repasse de 90% do futebol ao grupo Squadra Sports, com isso, concluindo o processo que transforma o time em Londrina Esporte Clube – Sociedade Anônima do Futebol (LECSAF) e transfere 90% do capital social para a empresa.

Segundo o clube alviceleste, que ficará com 10% do ativo futebol, as assinaturas dos documentos definitivos e registro nos órgãos competentes foram finalizados. Apesar de ser tratada como venda, o contrato não prevê um montante financeiro repassado diretamente ao clube social, mas apenas promessas de investimentos futuros no futebol.

Em nota, o clube afirma que “a conclusão deste processo marca um novo capítulo na história do clube e reforça o nosso compromisso em alçar o Londrina à elite do Futebol Brasileiro, com o desenvolvimento do esporte na cidade e no estado”.

O texto ainda reforça que os donos do time reconhecem a história e o legado do LEC. “A Squadra Sports reconhece a rica história e o legado do Londrina no cenário regional e nacional”.

Para complementar a nota publicada nas redes sociais do clube, a empresa também explicou que a meta é buscar a excelência esportiva. “Nosso objetivo é implementar um modelo de gestão e excelência esportiva, buscando sempre o sucesso dentro e fora dos campos. Estamos focados em resultados sustentáveis a longo prazo e acreditamos que, com o apoio de uma equipe de profissionais experientes e dedicados, seus torcedores e entidades Londrinenses o clube alcançará novos patamares de sucesso”.

SAF do Londrina

A partir de agora, o Londrina Esporte Clube – Sociedade Anônima do Futebol (LECSAF), não terá mais um gestor de futebol, e sim um dono. A Squadra, liderada por Guilherme Belintani, ex-presidente do Bahia.

O empresário revelou a promessa de investir cerca de R$ 139 milhões na SAF, durante seis anos, divididos entre R$ 100 milhões para o futebol, R$ 17 milhões para a construção de um Centro de Treinamentos (CT) e pagamento de dívidas do Londrina, que giram em torno de R$ 20 milhões.

A vinculação do Londrina com a SAF foi aprovada durante assembleia geral realizada em janeiro deste ano, autorizando a criação da Sociedade Anônima do Futebol (SAF), juntamente com o repasse de 90% do futebol para a empresa, com sede em Salvador, na Bahia.

Na eleição, 71 votaram favoráveis ao modelo, com 11 votos contrários e duas abstenções.

Redação Tem Londrina


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail