Na Índia, incêndio atinge prédio de maior fabricante de vacinas do mundo

Local produz doses da vacina contra covid-19. Cinco pessoas morreram.

No Instituto Serum é produzida vacina de Oxford/AstraZeneca – Imagem: Reprodução

Um incêndio, ocorrido na manhã desta quinta-feira (21), atingiu o Instituto Serum, que produz a vacina contra a covid-19 desenvolvida pela parceria entre AstraZeneca e Universidade de Oxford, em Pune, na Índia. Até o momento, cinco pessoas perderam a vida. As vacinas contra a covid-19, segundo o diretor do instituto Adar Poonawalla, não foram atingidas. A causa do incêndio ainda não foi identificada.

“As cinco pessoas que morreram eram talvez os trabalhadores do prédio em construção. A causa do incêndio ainda não foi apurada, mas especula-se que a soldagem, que estava acontecendo no prédio, causou o incêndio”, afirmou Murlidhar Mohol, prefeito da cidade.

O Instituto Serum é o maior produtor de vacinas do mundo. Sobre as vacinas da covid-19, o diretor garantiu que elas não foram atingidas e estão intactas. “Quero tranquilizar todos os governos e a população de que não haverá perda de produção da Covishield [nome da vacina], devido a vários edifícios de produção que mantive em reserva para lidar com tais contingências”, publicou Poonawalla.

O incêndio atingiu dois andares do Terminal 1, onde está sendo construída uma nova fábrica. Bombeiros foram até o local com dez caminhões para controlar o fogo e evitaram que ele se espalhasse.

Brasil tenta comprar vacinas da Índia

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) já aprovou o uso emergencial da vacina de Oxford no Brasil, mas ainda não há doses por aqui. O Brasil está tentando importar 2 milhões de doses que viriam exatamente do Instituto Serum.

Na semana passada, o governo federal preparou um avião para buscar esses imunizantes, mas o governo indiano não liberou a exportação, e o avião, que tinha partido de São Paulo e estava em escala no Recife, voltou para a capital paulista. Já nesta semana, a Índia começou a exportação de vacinas, mas não colocou o Brasil entre as prioridades.

Por enquanto, não há prazo de quando o imunizante estará disponível para o Brasil.

Redação Tem com UOL



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail