MP pede lockdown urgente em Londrina e outras cidades do Paraná

Caso não seja aceito em todo o estado, MP pede que foco principal seja nas regiões Leste e Oeste do Paraná.

Foto: Vinicius Gomes/TEM

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) ajuizou uma ação civil pública pedindo à Justiça que decrete o lockdown de pelo menos 15 dias nas principais cidades paranaenses, como Curitiba, Londrina, Maringá e Cascavel, devido ao aumento de casos do novo coronavírus. O texto ainda solicita que a norma seja estabelecida no mínimo nas “macrorregiões Leste e Oeste” do estado. 

O momento atual é classificado como “gravíssimo” pelos promotores de Saúde Pública do Paraná, que assinam a ação. Com o chamado lockdown, apenas atividades essenciais poderiam funcionar.

A iniciativa de pedir o lockdown no Paraná partiu de procuradores de Justiça do MP em Londrina, que pedem ainda que o judiciário anule o decreto do governador Ratinho Júnior (PSD), que autorizou recentemente a reabertura de alguns setores não essenciais da economia, bem como celebrações presenciais em igrejas e templos religiosos.

“Enquanto o discurso e orientação normativa não se atrelarem a medidas práticas garantidoras de distanciamento e de isolamento social, os índices de pacientes diagnosticados e de óbito somente irão aumentar”, diz a peça.

A Promotoria também pede a suspensão temporária de cirurgias eletivas no estado, com exceção dos casos urgentes, por causa do risco de desabastecimento de medicamentos.

A ação solicita que, caso a Justiça acate o pedido, seja decretada multa diária de R$ 10 mil se o governo descumprir a decisão. O valor seria revertido para a saúde.

Mais informações em instantes.

Leia também:

Redação Tem


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail