Otan estaria enviando terroristas estrangeiros para Ucrânia, diz Rússia

Imagem: Reprodução/Pixabay

O serviço de inteligência russo, anunciou nesta sexta-feira (5), que nas últimas semanas a Polônia teria se tornado o “centro logístico” para fornecimento de armas e combatentes à Ucrânia, incluindo do Oriente Médio. A inteligência de Moscou informou ainda que terroristas, preparados para atuar em Donbass, teriam recebido treinamento em Al-Tanf, uma base na Síria controlada pelos EUA.

“No final de 2021 os norte-americanos libertaram das prisões da ala curda [da organização ilegal armada] das Forças Democráticas da Síria várias dezenas de terroristas do Daesh [que eram] cidadãos russos e da Comunidade dos Estados Independentes. Essas pessoas foram enviadas para a base de Al-Tanf, controlada pelos EUA, onde participaram de preparação especial sobre métodos de guerra de sabotagem e terrorista visando a região de Donbass”, diz o comunicado.

“A CIA e o Comando de Operações Especiais das Forças Armadas dos EUA continuam formando no Oriente Médio e países da África novos comboios do Daesh [organização terrorista proibida na Rússia]. Planeja-se que seu envio para participar de ações terroristas e de sabotagem na Ucrânia seja realizado através da Polônia”, disse o serviço.

Segundo o serviço de inteligência, a maioria desses militantes do Daesh — organização terrorista proibida na Rússia e em vários outros países — treinados na Síria foram eliminados no território de Donbass durante a operação especial militar da Rússia na Ucrânia.

A Polônia seria, de acordo com o serviço de inteligência russo, um eixo de transferência de terroristas para a Ucrânia usado por serviços secretos dos EUA, Reino Unido, Canadá e alguns outros países da OTAN (Organização do Tratado do Atlântico Norte).

“A informação recebida pelo Serviço de Inteligência Externa da Rússia evidencia que os serviços secretos dos EUA e Reino Unido tornaram a Polônia de fato em ‘um hub logístico’, usado para fornecimento das armas e envio para a Ucrânia de terroristas, incluindo do Oriente Médio”, diz o documento.

Para Moscou, serviços de inteligência do Reino Unido, Canadá e alguns outros países da OTAN têm fornecido dados às Forças Armadas ucranianas sobre os planos e movimentações militares da Rússia. “Junto com os norte-americanos, o funcionamento do ‘hub logístico’ na Polônia também é sustentado por representantes dos órgãos de inteligência do Reino Unido, Canadá e outros países da OTAN. Eles mantêm contatos diretos com representantes do Serviço de Segurança da Ucrânia e Comando Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia, fornecendo-lhes, além do mais, informação de inteligência sobre planos e movimentações das Forças Armadas russas”.

Redação Tem com Sputnik Brasil



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail