A necessidade de fantasia em nosso cotidiano

A literatura nos permite sonhar, acreditar, buscar novos horizontes e fazer acreditar que tudo é possível por meio da linguagem. Todos deveriam dedicar uns minutos de seu dia para ler textos da literatura brasileira

Um dos primeiro teóricos que tive contato durante o curso de Letras foi Antonio Candido, falecido no ano passado. Seus estudos me ensinaram coisas fantásticas sobre literatura. Candido deixou um legado para os apaixonados por literatura e grandes ensinamentos acerca do que é literatura, como ela se insere no nosso dia e, principalmente, quais suas contribuições para o crescimento social, intelectual e apreciativo dos leitores. Sim, literatura é muito mais que frases e palavras que parecem sem nexo em um primeiro momento – alguns acham isso-, poemas de amor rasgado e histórias trágicas. Literatura também é denúncia social, além de contribuir para a formação cultural e crítica do sujeito.

Em um de seus textos mais sublimes abordando as funções da literatura (deu para perceber que sou fã do Candido, né?), o ensaio clássico A literatura e a formação do homem, o teórico nos fala do poder humanizador da literatura para a formação do sujeito, e elenca a necessidade de fantasia que temos em nosso dia a dia.  A fantasia é elemento essencial para nosso cotidiano em dias tão sombrios, como esses que estamos vivendo, e a literatura nos proporciona essas fugas da realidade, que se mostra tão implacável às vezes.

Além de oferecer a fuga da realidade, a literatura oferece ainda contribui para a formação do sujeito. Posso destacar aqui o projeto literário de José de Alencar durante o Romantismo. A missão dada ao escritor era escrever textos mostrando a identidade do Brasil. Imagine mostrar ao mundo quem era o país naquele período, utilizando a literatura como porta-voz. Algo simplesmente sensacional! A literatura nos permite sonhar, acreditar, buscar novos horizontes e fazer acreditar que tudo é possível por meio da linguagem. Todos deveriam dedicar uns minutos de seu dia para ler textos da literatura brasileira.

Tenho uma lista de itens de coisas que a literatura me proporciona, ou já me proporcionou. Alguns dos destaques dialogam com os ensinamentos de Antonio Candido. Deem uma olhada:

  • Literatura é a ressignificação de conceitos;
  • É a percepção de um novo mundo;
  • É rir quando se está triste;
  • Também tem erotismo;
  • Permite-nos sonhar quando o mundo não está permitindo;
  • Ama e mostra o que sentimos. Até as sofrências da vida. Castro Alves é o eterno apaixonado dessa lista, mas também há outros;
  • Tem hora que somos pessimistas. Olha o Augusto dos Anjos aí para provar isso;
  • Denuncia as mazelas dos poderosos e mostra a realidade daqueles que estão e são deixados à margem;
  • Usa a linguagem de forma criativa;
  • Personagens épicos, cômicos e inesquecíveis.
  • Dúvidas que até hoje perduram, como: Capitu traiu Bentinho?
  • Cantar o contratinho com aquela cantada literária. #olhaadica.

E ainda tem muito mais. E você, já viveu alguma experiência com a literatura? Compartilhe comigo.

Até a próxima,

Beijo da Preta.

Viviane Alexandrino

Jornalista com experiência como repórter, assessora de imprensa e comunicação. Apaixonada por futebol e literatura, enlouquecida por séries e cinema, curiosa por excelência e quem sabe uma futura Youtuber de sucesso.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail