Dia Nacional da Cachaça: saiba como degustar a mais tradicional bebida brasileira

Em Londrina, cachaçaria inova o mercado ao produzir cachaças especiais curtidas ou envelhecidas em madeira.

Imagem: Divulgação

Comemorado em 13 de setembro, o Dia Nacional da Cachaça é uma data para celebrar essa bebida genuinamente brasileira que a cada dia conquista novos paladares e novos mercados.

Motivos para festejar não faltam. A cachaça é o terceiro destilado mais consumido no mundo, ficando atrás apenas do coreano soju e da vodka. A produção nacional da bebida congrega 30 mil produtores, sendo 98% deles responsáveis por pequenos e médios negócios. A cadeia produtiva movimenta R$ 7,5 bilhões por ano. Considerada um produto craft – ou artesanal -, consolida-se como tendência no consumo de bebidas, assim como ocorre com as cervejas artesanais.

A tradição aliada ao empreendedorismo vem impulsionando a cachaça ao status de produto gourmet. A profissão “sommelier de cachaça”, inclusive, passará a ser reconhecida como ocupação oficial no Brasil em 2022.

Bebida gourmet e exclusiva

Em Londrina, a Cachaça Araz inspirou-se em um antigo costume para desenvolver duas linhas de cachaças exclusivas. A primeira que chegou ao mercado foi a de cachaças curtidas, com os sabores canela, cravo e canela, cravo, limão, hortelã, gengibre, maçã e gengibre, anis e a edição especial de quentão. A outra linha são bebidas envelhecidas em madeiras, como carvalho americano, jequitibá rosa e blend de carvalho americano e amburana.

Juliana Galende e Fábio Santos – Imagem: Divulgação

A engenheira agrônoma Juliana Galende e o administrador de empresas Fábio Santos são os nomes por trás das cachaças Araz. Eles garantem que consumir a bebida envolve uma experiência completa e dão dicas de como degustar o produto. Confira!

Cachaça deve ser bebida em copos transparentes, de preferência taças ISO, que “prendem” o sabor da bebida. Atenção aos aromas: como todas as bebidas complexas, a cachaça pode apresentar diferentes aromas decorrentes do tipo de cana, do solo, do clima, das técnicas de destilação e o tipo de envelhecimento. Já teve a sensação que a cachaça “queimou” no estômago? Isso é provocado pelo grau de acidez da bebida, e não pelo teor alcoólico, que fica em torno de 40% e se compara a uísque, vodka ou gim.

Não é mito! A cachaça abre mesmo o apetite, assim como outras bebidas alcoólicas, pois avisa o cérebro que em breve será hora de comer. A cachaça abre as papilas gustativas e prepara para as refeições.

Cachaças envelhecidas em madeiras neutras, como amendoim, jequitibá e ipê, são mais suaves e de coloração natural.
Já as cachaças envelhecidas em madeiras não neutras, como carvalho, amburana e canela sassafrás, possuem sabor, cor e aroma mais característicos.

Cachaça com história

A ideia de empreender a primeira marca própria de cachaça de Londrina surgiu com a engenheira agrônoma Juliana Galende durante o curso de Agronomia da UEL (Universidade Estadual de Londrina). Com amigos do curso, ela desenvolveu receitas inspiradas nas tradicionais cachaças curtidas consumidas na zona rural.

O sucesso levou Juliana a perceber que tinha um bom negócio em potencial. Em 2019, ela decidiu reposicionar a marca, adotou o nome Araz, inspirado nas araras, e escolheu alguns pássaros brasileiros como símbolos. No ano seguinte, ela sentiu a necessidade de profissionalizar a cachaçaria e, em plena pandemia, se associou ao administrador de empresas Fábio Santos, que estruturou o plano de negócios para aumentar a produção, ganhar mercado e expandir a experiência de consumir as cachaças Araz a um público maior. Ao mesmo tempo, Fábio apoiou o processo de registro da marca, da regularização da empresa e da obtenção da licença no Ministério de Agricultura (MAPA).

Hoje, a estrutura da Cachaça Araz é composta por uma micro indústria e uma loja exclusiva da marca que comercializa cachaças e petiscos, além de um e-commerce. Em plena pandemia, Juliana e Fábio criaram um negócio inovador que já acumula crescimento de 206% no faturamento em 2021, comparado a 2020.

Na loja, é possível comprar aperitivos para harmonizar com as bebidas e produtos exclusivos, como as trufas de cachaça desenvolvidas em parceria com a chocolatier Isabela Yenes.

O plano de crescimento da marca inclui não apenas aumentar as vendas, mas expandir as lojas para que a experiência de comprar as cachaças em um local especialmente preparado alcance mais gente. Eles investem, também, em capacitações e treinamentos junto à Apex para internacionalizar a Araz.

Redação Tem com Assessoria



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail