Para onde o zelo nos conduz?

É o início de uma coluna de tom questionador, cuja escritora, eu, tem forte influência de respeitável advogado e militante político londrinense, meu pai, com quem aprendeu que até mesmo o zelo, se não houver ciência, é ruim.

Vale dizer, cuidado e empenho na execução de qualquer atividade devem estar atrelados ao conhecimento, à reflexão e, quando possível, à prática. Não adianta se empenhar para fazer o bem sem a ciência de que sua ação efetivamente resultará em bem.

O saber não se adquire por absorção de conteúdo pura e simplesmente, mas consiste em construção complexa, que se inicia com a dúvida, estado de equilíbrio entre a afirmação e a negação. Será mesmo?

Lembro-me das frequentes viagens que fazia quando adolescente ao lado de meu pai. Enquanto ele conduzia, eu costumava ler textos e livros em voz alta. Meu pai, repetidamente, dizia “Não é bem assim” ou “Não concordo com o autor. Por vezes,  após algumas discordâncias da parte dele, eu me indignava e respondia “Pai, você contesta tudo!!!”.

Hoje, com olhos que adoram percorrer diversas categorias midiáticas, especialmente textuais, entendo que ele, desde minha mais tenra juventude, já me treinava para ser questionadora e não assimilar de pronto a informação recebida, mas aprofundar-se, checar as fontes, ouvir, ler, pesquisar outros pontos de vista, e, de fato, encrencar com a mediocridade.

Enfim, a lição que incorporei é de pensar com criticidade, o que demanda mente aberta, reflexão e treinamento diário. E claro, pensar com amor, porque a ciência incha, mas só o amor edifica (Coríntios 8:1).

Caro leitor, as críticas desta coluna, portanto, serão voltadas para a promoção de vida digna a todos, sem qualquer distinção, com forte ênfase nos temas do mundo do trabalho, porque é ao trabalho que dedicamos, pela média, um terço de nossas jornadas, e também porque essa é minha área de atuação e militância. O pressuposto será sempre de que “até mesmo o zelo, se não houver ciência, é ruim”.

Luara Scalassara

Advogada engajada nas áreas de Direito Trabalhista, Sindical e Previdenciário. Pós-graduada em Direito Civil e Processo Civil pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). Pós-graduanda em Direito do Trabalho pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC). Formada em Direito pela UEL. Membro da Comissão Estadual de Direito Sindical da OAB-PR e do Núcleo da Justiça do Trabalho da OAB-Londrina. Possui experiências internacionais na Rússia e nos Estados Unidos. Recentemente, concluiu curso intensivo sobre os métodos legais norte-americanos: Introdução ao Direito Estadunidense na George Washington University - Law School.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail