Descubra cinco raças de cachorro que podem ser consideradas perigosas

De acordo com especialistas, a agressividade nos animais é um quesito de sobrevivência

raças de cachorro mais perigosas
Foto: Pixabay

Você sabe quais são as cinco raças de cachorro que podem ser consideradas perigosas? Segundo especialistas, a agressividade nos animais é um quesito de sobrevivência, já que é preciso que haja defesa em relação ao seu território, parceiros, filhotes, tutor e até sua comida.

Raças de cachorro mais perigosas: veja quais são

Em alguns cães, o comportamento mais agressivo pode ser desencadeado apenas em algumas situações que o coloquem sob stress. Entretanto, de acordo com Alexandre Rossi, especialista em comportamento animal, os motivos para isso podem ser diversos independente da sua raça.

“O que acontece é que devemos evitar generalizações em relação à raças e nos atentar aos indivíduos”, ressalta Rossi.

Conforme Alexandre, ao tentarmos prever o comportamento futuro do filhote, é mais importante conhecer o comportamento típico da sua linhagem do que da sua raça.

Veja fatores que influenciam na agressividade animal

  • Raça e linhagem
  • O modo como o cão é criado
  • Educação: amor e carinho não bastam
  • Agressividade territorial
  • Agressividade possessiva
  • Agressividade por dominância
  • Agressividade por medo ou dor

Falando de uma forma mais genérica, ou seja, sem observar as características de cada animal de forma individual, o comum entre as personalidades mais fortes entre os cães estão: Pitbull, Pastor Alemão, Rottweiller, Chow Chow e Husky Siberiano.

Conforme a média veterinária Consuelo Martin Ferreira, da Casa do Produtor, todo animal de grande porte e que são considerados animais de guarda são muito ferozes, pois protegem o território ou não ensinados ou incitados a proteger.

Pitbull

Ainda de acordo com Consuelo, o pitbull não é um animal violento, mas é um animal difícil de aprender.

“Como ele é um animal muito forte, com uma mandíbula extremamente capaz, ele pode ser treinado para matar, por exemplo, nas rinhas, ou a defender o território da casa e atacar qualquer pessoa. Quando me perguntam: pitbull não gosta de criança e não gosta de idosos?” Não. O pitbull quando ele é incitado a atacar, ele vai atacar qualquer coisa. Infelizmente quando a pessoa se sente atacada ela corre, e correndo vira presa. Aí a coisa fica muito fácil. Mas na clínica eu tenho muita tranquilidade e nem ponho focinheira num pitbull – desde que ele seja bem orientado e tratado pelo proprietário”, explica a médica veterinária da Casa do Produtor.

Pitbull
Foto: Pixabay

Pastor Alemão

Conhecidos pela inteligência e por muitas vezes serem cães policiais, o pastor alemão é um animal que cuida da casa e da família. Todo pastor tende a ser muito cuidadoso. Segundo Consuelo, ele pastoreia toda a casa dele e gosta muito de cuidar do dono.

“Tem pastores ferozes? Tem. Mas esses casos ou são por maus tratos ou porque o proprietário incitou ele a ser assim, ensinou ele a ser feroz, ou por fome, animais que são muito pouco alimentados brigam por comida”, conclui a veterinária.

Pastor Alemão
Foto: Pixabay

Rottweiller

Em relação aos rottweilers, a veterinária explica que de fato estes cães tem uma linhagem extremamente feroz e dão medo. “Eles têm um olhar muito feroz. Também agem de acordo com o que são incitados a ser. Existem cachorros dessa raça que trato e são extremamente dóceis, amam o proprietário, mas se for para defender o proprietário ou a sua casa, eles vão agredir realmente”.

Rottweiller
Foto: Pixabay

Chow Chow

Chow chow, de acordo com a veterinária da Casa do Produtor, é um cachorro extremamente de guarda: “um cão de guarda que é lindo, porém muito bravo. E nós como veterinários sempre falamos que o único animal que realmente morde o próprio dono é o Chow Chow”.

chow chow
Foto: Pixabay

Husky Siberiano

Assim como cães da raça Chow Chow, Consuelo explica que os Huskies Siberianos também são muito complicados de lidar, pois possuem o temperamento muito forte. “São animais que são muito rústicos ainda e que não são acostumados com muito carinho e muito toque – são cães de guarda, mais na deles”.

Por fim, a veterinária ressalta que temos que pensar que sempre existem exceções, e que têm vários animais das raças acima que são dóceis e que gostam do dono, e que nunca morderam ou atacaram.

“Tudo entra dentro das exceções porque depende desse animal ser muito bem tratado e adestrado, estar sempre bem alimentado e não estar em período de reprodução. Uma fêmea inteira vai entrar no cio e o macho irá disputar – aí a briga é com outros cães e outras pessoas. Aí é o instinto falando”.

Husky Siberiano
Foto: Pixabay

Redação Tem com Ric Mais


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail