Mural da esperança: profissionais de saúde recebem mensagens de gratidão

Mural fica no Centro de Imunização da Zona Norte.

Imagem: Vivian Honorato

Palavras de esperança, amor e motivação podem fazer a diferença na árdua rotina dos profissionais da saúde, e demais trabalhadores, que atuam na linha de frente de combate ao novo coronavírus. As jornadas, muitas vezes exaustivas, tornam-se mais leves e alegres quando os serviços prestados são reconhecidos e valorizados pela população. Todos os dias, a equipe do Centro de Imunização da Zona Norte vem recebendo diferentes demonstrações de carinho das pessoas vacinadas contra a covid-19. E nesta quinta-feira (08), este espaço inaugurou o Mural da Esperança, para que o público deixe registrado o seu sentimento em ser vacinado.

Qualquer cidadão vacinado e seus familiares e acompanhantes podem escrever suas frases em um painel disponibilizado na área de saída do prédio, após as salas de vacinação. A iniciativa é da prefeitura de Londrina, por  meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), juntamente com a equipe de coordenação do Centro de Imunização, que aplica uma média diária de 1.500 a 1.800 doses de vacina contra a covid-19, atendendo todos os grupos prioritários contemplados até agora. A unidade, criada exclusivamente para essa finalidade, opera no prédio do Centro de Convivência do Idoso da região Norte (CCI Norte), localizado na Rua Luís Brugin esquina com a Avenida Saul Elkind.

A psicóloga Monica Marcello, que atua na área da saúde e já recebeu as duas doses da vacina, se emocionou ao inaugurar o Mural da Esperança junto a sua mãe, que ganhou hoje a primeira dose. Ela prestou homenagem destacando as palavras ‘força e gratidão’. “É um momento muito especial trazer minha mãe para vacinar, após já ter sido imunizada. Ficamos muito emocionadas, principalmente por estarmos vivendo isso com perdas recentes em nossa família. Com proteção maior, me sinto mais segura e aliviada para trabalhar e viver. Desejo que todos sejam vacinados logo. Tenho imensa gratidão em poder inaugurar este mural, torcendo para que todos os profissionais envolvidos na vacinação continuem fortes, resistentes e perseverantes. Apesar do momento familiar de grande tristeza, hoje também é um dia de esperança, algo de que todos nós precisamos agora”, disse.

Na avaliação da psicóloga, o serviço do Centro de Imunização é excelente, acolhedor, rápido e organizado. “Me chamou especial atenção pela simpatia e eficiência das equipes, sintonizadas com o que estamos vivendo mesmo em um período tão delicado”, enfatizou.

Para o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, a iniciativa do mural é uma forma de possibilitar que o público vacinado, e seus familiares, mostrem sua gratidão aos profissionais que viabilizam todo o processo de vacinação em Londrina. “Essa ideia de lançar um mural é uma singela homenagem de respeito aos trabalhadores envolvidos, direta e indiretamente na vacinação. A iniciativa reforça a valorização do prefeito Marcelo Belinati a tantos profissionais que arriscam suas vidas para proteger a saúde das pessoas. Ali, todo mundo pode deixar um incentivo às equipes e expressar sua alegria, felicidade e esperança após o recebimento da dose”, frisou.

A enfermeira e coordenadora do Centro de Imunização da Zona Norte, Erika Tudisco, disse estar feliz com as manifestações de carinho recebidas diariamente pelas equipes de trabalho. E, agora, de forma escrita pelo mural. “A vacina é aquela gota de esperança que as pessoas têm, representa muito pelas situações de medo e gravidade da doença. Pelo reconhecimento do público, que nos traz força e motivação, o clima de trabalho aqui é de gratidão e união, o que nos move. Trabalhamos todos os dias muitas horas seguidas, de manhã até a noite, finais de semana, nos esforçando para que tudo dê certo. O mural incentiva os servidores e funcionários e gera força positiva para quem atua na linha de frente neste enfrentamento. É ótimo receber mensagens como essas”, afirmou.

Como momento mais marcante vivido na rotina do Centro de Imunização, Erika Tudisco relembrou a vacinação de uma mulher de 105 anos de idade. “Foi um caso particularmente especial ver essa idosa com saúde, consciente e sorridente, nos dizendo a todo momento estar agradecida, e que tinha esperança de viver ainda muitos e muitos anos. Envelhecer é um processo natural da vida, e conseguir chegar a uma idade mais avançada com saúde é um grande privilégio, o que todos nós queremos. Por isso, é satisfatório fazer parte dessa força de trabalho que ajuda a salvar vidas em um momento tão difícil”, detalhou.

Redação Tem com N.Com



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail