Quase 19 mil pessoas com comorbidades fizeram cadastro de vacinação

Imagem: Gustavo Tacaki/Ncom

Um levantamento divulgado nessa sexta-feira (30) pela Secretaria Municipal de Saúde de Londrina apontou que 18.625 pessoas fizeram cadastro para vacinação covid-19 dentro do grupo de pacientes com comorbidades. A estimativa é que em torno de 22 a 25 mil pessoas integrem este público-alvo, priorizado na vacinação pelo Ministério da Saúde.

A Prefeitura de Londrina liberou na última segunda-feira (26) o cadastramento de pessoas com comorbidades, incluindo gestantes e puérperas, e síndrome de Down. O processo é feito totalmente on-line, pelo Portal da Prefeitura.

A lista completa das comorbidades foi estabelecida pelo Ministério da Saúde, e levou em consideração as doenças pré-existentes que mais geram risco de complicações ou óbitos no caso de contrair a covid-19. A íntegra também está disponível no Portal da Prefeitura.

De acordo com o secretário municipal de Saúde, Felippe Machado, os cadastros serão todos analisados por equipe técnica da SMS, assim como ocorreu com os grupos prioritários cuja vacinação está em andamento. O objetivo é evitar possíveis tentativas de fraude.

“Pacientes que fazem acompanhamento de comorbidades, como hipertensão ou diabetes, pegam os remédios nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs), popularmente conhecidas como postos de saúde, e se enquadram nos critérios do Plano Nacional de Imunização, devem preencher o cadastro e aguardar. Os demais pacientes, precisam preencher, além do cadastro on-line, um formulário específico”, explicou Machado.

As informações dos pacientes que são atendidos nas Unidades Básicas de Saúde serão obtidas pelo sistema municipal. Já os que fazem acompanhamento ou tratamento nas demais esferas, como a rede privada, precisam comprovar que se enquadram nos critérios por meio do formulário.

Imagem: Reprodução/Ncom

O diretor técnico da Unidade Coronária do Hospital Evangélico de Londrina (HEL), Adriano Freitas Ribeiro, trouxe algumas orientações para que os médicos preencham o documento, desenvolvido pela SMS e disponibilizado ao usuário assim que ele completa o cadastro para vacinação.

Para o cardiologista, que atende na unidade pacientes após a infecção por covid-19, é extremamente importante a vacinação deste grupo. “Pessoas com doenças metabólicas ou Síndrome de Down, além de terem maior probabilidade de infecção, têm maiores taxas de desfecho adversos. A doença neles evolui com mais gravidade, e por serem mais vulneráveis precisam ser priorizados na vacinação”, explicou.

O cardiologista explicou que o preenchimento do formulário leva, aproximadamente, cinco minutos. O ideal é que seja enviado ao médico que acompanha o paciente, ou que tenha acesso ao seu histórico e prontuário. “O médico precisa verificar se o paciente atende aos critérios ou não. Por exemplo, nem todos os pacientes hipertensos se enquadram. É preciso ter um quadro grave da doença; sabemos que 30% da população é hipertensa, então vamos priorizar quem tem um risco mais alto. Por isso é importante que o médico saiba o histórico do paciente, isso diminui o risco de que burlem o sistema”, citou.

No preenchimento do formulário, são solicitados os dados do médico e do paciente. Estão listadas 22 comorbidades, enquadradas no grupo prioritário, e o profissional deve assinalar somente as informações referentes àquele paciente. “O preenchimento é bem simples e autoexplicativo. Mesmo que o médico esteja com dúvidas sobre os critérios, fica muito fácil ao ler esse formulário, porque ele é extremamente prático e não demora para ser preenchido”, complementou Ribeiro.

Um vídeo do médico com as orientações sobre o formulário foi publicado nas redes sociais da Prefeitura de Londrina e da Secretaria Municipal de Saúde. Quem não tiver acesso à internet ou enfrentar dificuldades no preenchimento pode se dirigir a qualquer unidade escolar do Município ou ainda nos Centros de Convivência da Pessoa Idosa. Os servidores estão capacitados para auxiliar a comunidade, com atendimentos de segunda a sexta-feira.

Após obter o formulário devidamente preenchido e assinado, o paciente deverá inseri-lo em um envelope junto com cópias de seus documentos pessoais (RG e CPF) e cópia de comprovante de residência recente. O envelope deve ser entregue pessoalmente na escola municipal mais próxima, que fará o encaminhamento à SMS, onde será analisado pela equipe técnica.

Redação Tem com Ncom



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail