‘Se o governo não entregar, Londrina vai garantir vacina’, diz Belinati

Em live, prefeito se demonstrou preocupado com demora do Governo Federal e disse que município vai se antecipar. "Nós precisamos vacinar".

Prefeito vai à São Paulo para firmar parceria – Foto: Reprodução

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP) anunciou nesta quarta-feira (30) durante uma live nas redes sociais, que deve ir até São Paulo no início da próxima semana para formalizar o memorando de intenção para a compra de vacinas contra o coronavírus, desenvolvidas pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac. O município voltou atrás da decisão anterior de aguardar o Governo Federal, tendo em vista a demora pela definição do Ministério da Saúde, segundo o prefeito.

Ele se demostrou preocupado com a demora e afirma que a cidade precisa da imunização. “Vários países já estão se vacinando e precisamos da vacina. Se o governo [federal] não entregar, nós vamos garantir a vacina para os cidadãos londrinenses”, afirmou.

O prefeito Marcelo Belinati informou que não importa o valor, a cidade está preparada para realocar recursos se for necessário, para garantir a compra do imunizante. “Quanto vale uma vida?”, questionou o chefe do executivo.

A administração não informou valores exatos, mas segundo informações apuradas pelo Portal TEM o município planeja reservar o valor de R$ 30 milhões para efetuar a compra de 500 mil doses, quantidade que seria possível imunizar 250 mil londrinenses, cerca de metade da população, já que a vacina necessita de duas aplicações.

Informações apontam que a Coronavac, vacina desenvolvida pelo instituto, tem custo de cerca de R$ 55,00 por unidade, entretanto, a Secretaria de Saúde de Londrina não tem a informação definida sobre o preço.

.

‘Só voltaremos à normalidade com vacina, não tem outro jeito, temos que vacinar’, disse o prefeito.

.

Foto: Reprodução/UFPR

Anvisa

O Instituto Butantan afirma que os documentos para a aprovação da vacina deve ser realizada em meados de janeiro. O Governo de São Paulo já marcou data para iniciar a imunização em massa da população, para dia 25 de janeiro, se imunizante for aprovado até lá, esse também poderá ser o cronograma utilizado em Londrina.

Prefeito disse que vacina não pode esperar – Foto: Reprodução

Segundo a Secretaria de Saúde, independente de onde venham as doses, a ideia é iniciar a aplicação em profissionais de saúde, idosos e pessoas com doenças crônicas.

Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail