Caso Sandra: júri popular do acusado é marcado em Londrina

Morta pelo ex-companheiro com 22 facadas, ela teve medida protetiva negada dois dias antes do crime.

Foto: Arquivo pessoal

A justiça marcou o júri popular de Alan Borges, responsável pelo feminicídio da ex-companheira Sandra Mara Curti, em julho do ano passado. O julgamento foi marcado para o dia 18 de agosto.

Alan matou a ex-esposa com 22 facadas, após não aceitar o fim do relacionamento. A vítima foi esfaqueada na frente dos filhos de 11 e 8 anos, na época, na casa onde morava. Ela chegou a ser levada para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos. Alan é acusado de feminicídio triplamente qualificado.

Réu confesso, Alan teve a prisão preventiva decretada ainda na noite do crime.

Devido ao momento de pandemia, a apreensão da família da vítima e do advogado é que o julgamento seja adiado.

O sorteio dos jurados deve ocorre no dia dois de julho.

Pedido de ajuda

Sandra Mara Curti havia procurado a justiça pedindo ajuda para uma medida protetiva dois dias antes do crime. O pedido foi negado pelo juiz João Marcos Anacleto Rosa.

No Boletim de Ocorrência registrado por Sandra, dois dias antes de ser morta, ela relatou que o ex-esposo não aceitava a separação, praticando perseguições e constantes ameaças.

Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail