Londrina deve atingir 100% no tratamento de esgoto até 2029

Cidade está entre as mais privilegiadas do país.

Receptor circular em construção – Foto: Reprodução/AEN

Do alto, o grande receptor circular em construção pela Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) chama atenção. Ele é peça-chave na ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Norte, em Londrina. Quando estiver funcionando a capacidade plena, em agosto de 2021, o local será gatilho rumo à universalização do tratamento de esgoto no município.

Atualmente Londrina já tem uma situação privilegiada: são 100% dos domicílios com água tratada e 94% atendidos com rede coletora de esgoto, com tratamento total do volume coletado. A ambição é chegar a toda população até 2029. É aí que entra a ETE Norte.

“A determinação é investir fortemente em saneamento para que mais cidades paranaenses sejam reconhecidas pela qualidade deste serviço”, afirma o governador Ratinho Junior (PSD). “Quem ganha são as pessoas, com mais saúde e qualidade de vida, e o meio ambiente”, enfatiza.

“São mais de R$ 284 milhões em investimentos na região em esgotamento sanitário, em busca da universalização do atendimento em Londrina e região. É algo que vai beneficiar muito a população”, complementa o gerente-geral da Sanepar na região, Rafael Malaguido.

Gerente de projetos e obras para a Região Norte, Luiz Nacayama destaca que a Estação de Tratamento de Esgoto Norte vai também elevar a vazão média de água de 425 litros por segundo para 554 litros por segundo.

Segundo ele, a obra complementa outra importante ação da Sanepar na cidade, a Estação de Tratamento de Esgoto Sul, cuja capacidade de vazão média saltará de 491 litros por segundo para 545 litros por segundo. O investimento nos dois complexos é de R$ 60 milhões.

Foto: Reprodução/Sanepar

“Londrina cresceu e surgiram bairros novos que hoje não contam com rede de esgoto. Por isso a ampliação das duas estações é importante. Sem contar que, com as estações, aumentaremos também a eficiência no tratamento do esgoto”, explica Nacayama.

O prefeito de Londrina, Marcelo Belinati (PP) ressalta a importância do trabalho em conjunto com a companhia de saneamento. “A empresa tem todo o nosso respeito. E o nosso objetivo é trabalhar cada vez mais em parceria. Há grandes obras previstas tanto no atendimento com rede de esgoto quanto em outros processos”, diz.

Em Londrina serão substituídos 86 km de rede de ferro por polietileno de alta densidade (PEAD) na região central da cidade, somando R$ 14 milhões.

Ranking nacional

De acordo com o Ranking do Saneamento Básico das 100 maiores cidades brasileiras, elaborado pelo Instituto Trata Brasil, as cinco maiores cidades do Paraná atendidas pela Sanepar estão entre as 20 melhores do País: Maringá (3º lugar), Cascavel (7º), Ponta Grossa (9º), Londrina (13º) e Curitiba (17º). Curitiba desde 2011 é apontada como a melhor capital do País em Saneamento.

Redação Tem com AEN



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail