Moradores da Vila Yara cobram melhorias no entorno da passarela da BR-369, próximo ao Detran

Local tem sido cenário de vários acidentes.

Pessoas em situação de rua se abrigam embaixo da passarela – Foto: Reprodução

Aos 76 anos, Helena da Costa de Oliveira foi a vítima mais recente de atropelamento na BR-369, próximo ao Detran, na Vila Yara, Zona Leste de Londrina. A idosa tentava atravessar a rodovia quando foi atingida por um caminhão. Ela faleceu na hora.

A poucos metros de onde aconteceu o acidente, tem uma passarela que poderia ter evitado a tragédia. Mas, então, por que Helena não a utilizou para atravessar?

Para os moradores da Vila Yara já não é mais novidade a impossibilidade de usar a passarela, ainda que atravessar a rodovia por ela seja – ou deveria ser – a forma mais segura. Eles explicam que a falta de um bom cuidado nas proximidades da estrutura dificulta o uso pelos moradores do bairro.

Cercas vivas acabam facilitando isolamento da passarela – Foto: Reprodução

Segundo Vinícius Bueno, da Associação dos Moradores da Vila Yara, são quatro fatores que geram esse problema: falta de iluminação no local; aumento na presença de moradores em situação de rua, que ocuparam o espaço e agora “moram” na passarela; existência de usuários de drogas; isolamento da estrutura. “No entorno da passarela só tem comércios, alguns tentam se isolar com cercas vivas. Então, para os moradores em situação de rua ali vira um ‘refúgio’. A quantidade de usuários de drogas por toda a passarela também é grande. Tudo isso gera uma cultura de insegurança, por meio da qual se espalhou a ideia de que a passarela é um lugar perigoso, mesmo não sendo de fato. Até hoje, que eu saiba, ninguém foi assaltado ali, por exemplo. Ainda assim, os moradores têm medo, principalmente a noite”, explicou Vinícius.

A noite, local fica muito escuro e moradores têm medo de usar a passarela – Foto: Reprodução

Os moradores pedem providências por parte da prefeitura para evitar que outras vidas sejam perdidas. Eles alegam que “a estrutura de iluminação e urbanização [do local] é a mesma existente de antes da construção”, comenta Vinícius. Para quem conheceu Helena, moradora da Vila Yara, ficaram apenas a saudade, as boas lembranças e a admiração. “Eu vou sempre guardar a imagem de uma senhora muito ativa, que queria viver. Ela também se incomodava com as injustiças e tentava ajudar quem podia”, relata Vinícius.

‘Uma senhora que queria viver’ – Helena da Costa de Oliveira, 76 anos, foi atropelada a poucos metros da passarela e acabou falecendo – Foto: Arquivo Pessoal

Local de vários acidentes

A região da passarela da Vila Yara é marcada pelo grande número de acidentes, muitos deles resultando em mortes, como aconteceu com Helena na última sexta-feira (16).

Além da idosa, em junho deste ano, uma mulher de 39 anos foi atropelada por uma moto e perdeu a vida.

Fiama Heloisa - Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail