População e entidades podem aderir ao Programa de Hortas Comunitárias

Imagem: Reprodução/Ncom

O Programa Municipal de Hortas Comunitárias, promovido pela Prefeitura de Londrina, vai receber a participação de cidadãos, instituições ou comunidades que desejem produzir alimentos. A iniciativa, que é coordenada pela Secretaria Municipal de Agricultura e Abastecimento (SMAA), atualmente conta com 48 espaços mantidos em diferentes bairros e distritos de Londrina. Desse total, 26 encontram-se em unidades escolares e 22 localizam-se em áreas públicas.

A administração municipal também pretende expandir o programa, e conta com 50 terrenos ainda não utilizados, sendo 29 de propriedade do Município, 14 disponibilizados pela Companhia Paranaense de Energia (COPEL) e sete cedidos pela Cáritas Arquidiocesana.

Quem tiver interesse em saber mais pode entrar em contato com a SMAA, através do email [email protected] ou do telefone (43) 3372-4789, que atende de segunda a sexta-feira, das 12h às 18h. A participação no programa pode ocorrer de diferentes formas, como a execução de trabalhos nos terrenos; o fornecimento de consultorias por agrônomos e outros profissionais especializados; e a realização de contribuições materiais ou financeiras para a manutenção dos espaços. As hortas são geridas pelas populações das regiões contempladas, e contam com apoio da SMAA, que, além de ofertar os lotes, contribui para o preparo inicial do solo e fornece assistência técnica. Além do consumo dos alimentos produzidos, as comunidades participantes podem comercializar os excedentes ou doá-los a entidades filantrópicas ou pessoas em situação de vulnerabilidade social. É importante lembrar que os cidadãos interessados em participar da iniciativa também podem ingressar nas hortas que já estão em atividade.

Em live realizada nesta quinta-feira (14), o prefeito de Londrina em exercício, João Mendonça (PP), destacou que proprietários de terrenos não utilizados podem ceder esses espaços para o programa. “Existem muitos terrenos baldios no município que estão tomados pelo mato alto, lixo e acabaram se tornando criadouros do mosquito da dengue. Os proprietários que emprestarem esses locais para o programa farão uma contribuição social importante, e verão seus terrenos sendo bem cuidados e beneficiando a comunidade”, salientou.

De acordo com o secretário municipal de Agricultura e Abastecimento, Régis Choucino, a iniciativa está incluída nas ações desenvolvidas pela pasta com o objetivo de promover a segurança alimentar de Londrina. “Queremos ampliar essa ação cada vez mais, especialmente no contexto de pandemia que estamos atravessando. Um dos nossos principais objetivos é aumentar a disponibilidade dos alimentos e reduzir os seus custos para a população de baixa renda”, frisou.

A técnica agroflorestal e gerente de Comercialização da SMAA, Viviane Fernandes, ressaltou que os cidadãos podem acessar o Manual do Participante (disponível aqui), onde há informações detalhadas sobre o Programa Municipal de Hortas Comunitárias. Entre outros conteúdos, o material inclui uma explicação sobre a lei municipal no 12.620/2017, que regulamenta a iniciativa, e um tutorial que explica o procedimento de adesão ao programa.

“Também é possível acessar um mapa contendo a localização das 22 hortas comunitárias situadas em áreas públicas, o que é interessante tanto para quem quer produzir quanto para quem deseja comprar alimentos. Além disso, disponibilizamos um documento com diversas orientações para a implantação e manutenção de hortas comunitárias, abordando assuntos como os materiais e cuidados necessários, procedimentos para adubação orgânica e o controle alternativo de pragas, sem uso de produtos químicos”, citou Fernandes.

Redação Tem com Ncom



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail