Mortes de pacientes entre 40 e 59 anos por covid sobem 136% em Londrina

Imagem: Reprodução/HU

A pandemia começa a sofrer uma alteração na faixa etária proporcionalmente mais atingida em Londrina. É o que mostra um levantamento realizado pelo TEM, a partir dos dados divulgados pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). Entre os meses de março e abril de 2021, a cidade registou mais da metade (57%) de todas as mortes causadas pela doença em pacientes com 40 a 59 anos, número que representa um aumento de 136%.

Das 217 vítimas fatais na cidade, 125 morreram entre os meses de março e abril deste ano. Ou seja, os outros 92 óbitos ocorreram no período de 11 meses.

O mês de março somou 17 vítimas na faixa de 40 anos e outras 37 na casa dos 50 anos de idade. Em abril, foram 24 óbitos de vítimas na faixa etária dos 40 anos, além de 47 entre pacientes na faixa de 50 anos.

O Observatório Covid-19 da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), já alertava na primeira quinzena do mês de abril, para o que chamou de “rejuvenescimento da pandemia”. Segundo os boletins epidemiológicos da entidade, em abril, a doença atacou cada vez mais pessoas jovens.

Foto: Vinícius Gomes/TEM

Especialistas sugerem que um dos fatores para o aumento exponencial de de mortes nas faixas mais jovens, esteja atrelado à cepa brasileira do coronavírus (P1), que aparenta ser mais letal. Outro aspecto, é a falta de políticas efetivas de isolamento social, já que os jovens e adultos são mais ativos e ficam expostos a transmitir a doença com maior facilidade.

De acordo com o último boletim epidemiológico, Londrina possui mais de 17 mil casos confirmados entre pessoas de 40 a 59 anos. Ao todo, mais de 51 mil londrinenses já contraíram o coronavírus.

Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail