Por norma da Saúde, mulher que morreu com sintomas de covid-19 no PR não tem velório

Moradora de Maringá foi cremada sem a presença dos familiares.

Foto: Arquivo pessoal

A mulher que morreu na noite desta quarta-feira (25) no Hospital Metropolitano de Sarandi, na região metropolitana de Maringá, com sintomas suspeitos de coronavírus, não teve a presença dos familiares em sua despedida, após atendendo uma determinação do Ministério da Saúde.

Rosângela Machado, de 54 anos, estava internada desde 20 de março, mas teve o quadro agravado nesta semana e não resistiu. De acordo com a direção, o hospital seguiu os protocolos enviados pelo Ministério da Saúde, do Governo Federal, para o isolamento da paciente durante o tratamento. A unidade também realizou o teste para saber se a paciente possuía coronavírus , no entanto, o resultado deve demorar alguns dias para ficar pronto.

Mulher estava internada desde o dia 20 de março – Foto: Reprodução

O hospital também informou que praticou todas as recomendações do ministério, assim, por causa das suspeitas, a vítima não teve direito a um velório com a presença dos familiares e foi encaminhada diretamente ao crematório da cidade.

O marido de Rosângela também está em isolamento no mesmo hospital. Ele lamentou a morte da esposa e o fato de não poder lhe dar o último adeus.

Familiares disseram que ela havia passado pelo Nordeste e São Paulo nas últimas semanas.

Protocolo

Sem exames disponíveis e com a demora dos resultados, o protocolo do Ministério da Saúde é que para todos os casos suspeitos, sejam cremados ou enterrados em caixões lacrados, sem possibilidade de velório ou funeral.

Em Londrina

Em Londrina, a determinação é para que a Acesf cumpra o mesmo protocolo para óbitos com suspeita de covid-19. Já as mortes não relacionadas à doença, deverão ter velórios com apenas 2 horas e limitação de participantes.

Redação Tem


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail