Museu Histórico de Londrina recebe 34ª Mostra Afro-Brasileira Palmares

Foto: Reprodução

O Museu Histórico de Londrina/Padre Carlos Weiss recebe durante este mês a 34º Mostra Afro-Brasileira Palmares. A Mostra, que traz obras do artista plástico Elifas Andreato, faz parte da programação que marca o Dia da Consciência Negra (20 de novembro). É realizada pelo Instituto do Movimento de Estudos da Cultura Afro-Brasileira (IMECAB), em parceria com a UEL. A Mostra teve início no último domingo e segue aberta ao público até 4 de dezembro.

O destaque da Mostra são as capas de discos de vinil produzidas pelo artista plástico Elifas Andreato, que foi o criador da arte das capas de álbuns de artistas como Gilberto Gil, Paulinho da Viola, Alcione, Gal Costa, Fafá de Belém, dentre outros. Além dos vinis, estão expostos desenhos e pinturas da estudante Alice Steffan Retkva, de oito anos de idade.

Segundo o organizador da Mostra e presidente do Instituto, Vagner Nogueira, todas as atividades realizadas pelo IMECAB no mês de novembro têm por objetivo defender a inclusão social e a igualdade racial. Ele afirma que a ilustração da bandeira escolhida para representar o evento atende aponta para essa expectativa.

Vagner Nogueira ressalta a importância de promover a inclusão no evento. Por isso, este ano estão expostos também trabalhos de 35 alunos do Instituto Londrinense de Educação de Surdos (ILES), que foram desenvolvidos no projeto “Cores e Expressões que Encantam”. Estão reunidos também trabalhos dos artistas Branxer, Alexs Tcho, Marcelo Speçato, Maria Aparecida dos Santos Silva, Fernando Godinho, e José Luiz Neia Martini.

A programação realizada no Museu Histórico também traz a 1ª Feira Afro Criativo de Empreendedores Negros, de 22 a 24 de novembro, que tem o intuito de aproximar a comunidade de produtos e serviços que promovam a cultura afro-brasileira. Serão barracas instaladas no pátio do Museu Histórico, com artesanatos, culinária e cabeleireiros afro e trancistas.

No mesmo dia, outra opção, é a Feira do Livro, exclusiva de 30 autores negros londrinenses. O evento é realizado em parceria com o Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial, com o apoio da Prefeitura de Londrina e da Secretaria Estadual da Comunicação Social e da Cultura (SECC).

Foto: Divulgação

Música

Além da Feira de Livros, o público também terá atrações musicais da 3ª Mostra de Música Afro-Brasileira, que apresenta o espetáculo Azul Celeste (dia 22), cujo objetivo é resgatar obras de 15 compositores locais afro-brasileiros. No último dia da Feira, dia 24, serão as apresentações das Escolas de Samba e artistas convidados.

Vagner Nogueira ressalta a importância de poder sediar a Mostra no Museu, e afirma que esse é o único salão no Paraná que tem essa temática. Segundo ele, o evento é fundamental para divulgar para as comunidades interna e externa a existência de organizações que promovem a igualdade racial em Londrina.

As atividades são realizadas nos horários normais de funcionamento do Museu. O setor funciona terça-feira a sexta-feira, das 9 às 11h30 e das 14h30 às 17h30. E aos sábados das 9 às 11h30 e das 13h30 às 17h, e aos domingos, das 13h30 às 17 horas. Sempre às segundas-feiras o Museu permanece fechado. A entrada é gratuita e a classificação indicativa é livre.

Além dos eventos sediados no Museu, outras atividades referentes ao Dia da Consciência Negra serão promovidas pelo IMBECAB em outras localidades de Londrina ao longo do mês. O catálogo que traz a programação completa pode ser consultado no Portal da Prefeitura de Londrina.

Redação Tem com N.com


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail