Trabalhadores da cultura cobram do prefeito medidas emergenciais para o setor

Artistas e produtores culturais fizeram um vídeo, pedindo atenção do prefeito de Londrina.

Foto: Reprodução

A crise econômica causada pela pandemia do novo coronavírus já é uma realidade para todos os setores, mas alguns têm sofrido ainda mais. Por todo o país, artistas e produtores culturais buscam maneiras de sobreviver enquanto tudo só pode acontecer de forma online. Em Londrina, não é diferente. Por isso, os trabalhadores do setor se uniram em um Fórum Permanente da Cultura para cobrar do prefeito Marcelo Belinati (PP) medidas emergenciais nas políticas culturais que atendem a produção local.

Segundo a categoria, as principais reivindicações são o pagamento dos projetos do Promic selecionados no ano passado (edital 009/2019) e que não receberam os recursos até o momento; a publicação de editais emergenciais para o auxílio aos trabalhadores; e ainda o comprometimento do município de que não vai cortar recursos da Secretaria Municipal de Cultura. Outro ponto cobrado é a participação popular na gestão dos recursos que o município vai receber em função da Lei Aldir Blanc – Lei Federal que prevê o repasse de R$ 3 bilhões da União para estados e municípios investirem em ações emergenciais de apoio ao setor cultural.

Foto: Reprodução

Como forma de intensificar a cobrança, os artistas escreveram um manifesto que foi entregue ao prefeito e ao secretário de Cultura, Caio Cesário. Eles aguardam, agora, uma resposta da administração municipal.

Um vídeo com o manifesto também foi gravado com a participação de muitos artistas da cidade. Confira o vídeo do manifesto “A cultura de Londrina não pode morrer”:

.

Fiama Heloisa - Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail