Londrinenses tentam renegociar dívidas para deixar inadimplência

Foto: Reprodução

Os indicadores do mês de outubro do Sistema de Proteção ao Crédito da Associação Comercial e Industrial de Londrina (ACIL) mostram forte queda na quantidade de consumidores que tiveram seu nome incluído no cadastro de inadimplentes. Foram 33% menos pessoas negativadas em relação ao mesmo mês do ano passado. 

Quando considerado de janeiro a outubro de 2020, em relação ao mesmo período de 2019, o número de consumidores que tiveram seu nome incluído no cadastro de inadimplentes está 38% menor. 

“Poderia ser um dado positivo, mas esta redução da taxa de negativados é muito mais em função da queda nas vendas ao longo de praticamente todo o ano, decorrente da crise provocada pela pandemia de covid-19, do que resultado de uma melhor gestão das finanças pessoais”, explica o consultor econômico da ACIL, Marcos Rambalducci.

Por outro lado, com a proximidade das festas de final de ano e o desejo do consumidor de voltar às compras, o número de pessoas que conseguiram renegociar ou pagar suas dívidas foi 5% maior em outubro na comparação com o mesmo mês de 2019. No ano, este indicador continua negativo em 31% na comparação com o ano passado, mas considerando que o percentual de inadimplentes está 38% mais baixo, é possível deduzir que Londrina está com uma base de consumidores com capacidade de tomar crédito mais elevada que em 2019.

“Se a economia der motivo para o consumidor aumentar sua confiança, poderemos ter um final de ano com vendas muito superiores àquelas que seriam possíveis prever em abril e maio deste ano”, ressalta o economista.

Redação Tem com Assessoria



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail