Trabalho remoto dos servidores públicos gerou economia de R$ 691,9 milhões durante pandemia

Quem aí está em home office?

Foto: Reprodução

O trabalho remoto dos servidores públicos federais durante a pandemia de covid-19 resultou em uma economia de R$ 691,992 milhões aos cofres públicos de abril a julho deste ano, de acordo com dados do Ministério da Economia. Os valores são calculados em comparação com a média mensal desses gastos em 2019.

Somente em diárias, passagens e outras despesas de locomoção, a despesa evitada chegou a R$ 375,128 milhões naqueles quatro meses. Já a economia com a conta de energia elétrica dos órgãos públicos foi de R$ 211,437 milhões no período.

Com boa parte dos servidores trabalhando em casa, a administração federal ainda economizou R$ 71,097 milhões entre abril e julho com serviços de comunicação em geral e R$ 26,659 milhões em água e esgoto. O total gasto com cópias e reproduções de documentos foi R$ 7,670 milhões menor que a média do mesmo período de 2019.

“O Ministério tem observado reduções expressivas nas despesas de custeio nos últimos meses e cada real economizado em gastos administrativos pode ser investido em áreas finalísticas. Nós monitoramos essas despesas para saber onde investir na modernização dos processos”, avaliou, em nota, o secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital da pasta, Cristiano Heckert.

“A experiência do trabalho remoto durante a pandemia demonstrou que muitas atividades podem ser realizadas sem prejudicar o atendimento aos cidadãos”, garantiu.

Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail