Pastor faz novo vídeo e ressalta ‘carreata’ para defender Bolsonaro

Religioso diz que foi mal interpretado e fez novo vídeo para reforçar "carreata sem aglomeração".

Imagem: Reprodução

O líder evangélico Osni Ferreira, que havia gravado um vídeo nesta sexta-feira (19) convocando um protesto para ser realizado na área central de Londrina, neste domingo (21), divulgou uma nova gravação após a polêmica do vídeo anterior. O Ministério Público (MP) chegou a abrir um procedimento para investigar a manifestação prevista para acontecer na semana com o maior registro de mortes causadas pelo coronavírus.

Neste segundo vídeo, divulgado neste sábado (20), o religioso afirma ter sido mal interpretado anteriormente. “Como apoiador de atos democráticos, e a fim de evitar qualquer erro de comunicação e interpretação maldosa. Gostaria de informar que o evento […] será, como divulguei no vídeo anterior, uma carreata pacífica”, explica. “Pedimos aos participantes, que exerçam seus direitos dentro de seus veículos, sem sair do automóvel, evitando assim, qualquer tipo de aglomeração”, completa.

Apesar do pastor ressaltar a carreata e pedir para que os participantes não se aglomerem, panfletos e imagens que convocam o protesto nas redes sociais, são explícitos ao reforçar uma “passeata” com a concentração de manifestantes na rua.

“Todos nós vestimos a camisa verde e amarela, e carregamos a bandeira brasileira, em apoio ao nosso presidente Jair Bolsonaro”, disse o pastor. No vídeo anterior, o religioso não havia citado o presidente da república e dizendo, apenas, que a manifestação se tratava de uma “defesa da liberdade”.

Já nos materiais divulgados pela internet, militantes bolsonaristas registram críticas ao ‘lockdown’, defesa de tratamento precoce com medicamentos sem comprovação científica contra a covid-19, e críticas ao aumento no preço dos combustíveis.

Vale ressaltar, que Londrina não passa por um lockdown.

Conforme apurou a reportagem, em nenhum momento, tanto o pastor, quanto os manifestantes, mencionam pedidos por vacinação ou ampliação e agilidade na distribuição de imunizantes anti-covid.

Assista ao vídeo:

Prefeitura

A Prefeitura de Londrina, através da Companhia Municipal de Trânsito e Urbanização (CMTU), informou que não recebeu qualquer comunicado sobre o evento.

Segundo apurado pela reportagem, a Guarda Municipal (GM) e a Polícia Militar (PM), já estão sabendo da possível aglomeração. As forças de segurança municipais e estaduais, são responsáveis pela fiscalização e garantia do cumprimento dos decretos.

Redação Tem



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail