Idoso acusa mulher negra de furto, e objeto é encontrado com outra pessoa no PR; assista

Passageira filmou a ação e publicou desabafo em rede social; o vídeo viralizou na internet.

Imagem: Reprodução/Youtube

Uma mulher negra foi acusada, injustamente, de ter furtado uma carteira dentro de um ônibus biarticulado por volta das 14 de quinta-feira (16), em Curitiba. Uma passageira do ônibus filmou o momento em que ela foi acusada por um idoso e revistada pela Polícia Militar (PM).

O vídeo foi editado para evitar a exposição da mulher que recebeu a acusação. Assista acima.

O caso aconteceu na linha Santa Cândida/Capão Raso. A passageira que filmou toda a ação preferiu não ser identificada. Ela também é negra e publicou o vídeo em uma rede social e disse que a situação configura racismo. O vídeo viralizou na internet.

A imagem mostra quando a mulher é acusada do furto por um idoso. Um policial revistou a bolsa dela, mas não encontrou o objeto. Alguns minutos depois, uma passageira aparece e disse que viu uma moça pegar a carteira do idoso.

O policial foi até a jovem e pediu para que outra mulher puxasse um objeto de dentro da calça da suspeita. A carteira do idoso estava com ela e foi devolvida a ele. A mulher foi encaminhada para a Central de Flagrantes de Curitiba.

Não há informações se ela foi presa ou não.

Assista:

Desabafo

Desabafo da jovem que fez o vídeo foi publicado em uma rede social — Foto: Reprodução/Facebook

No post, a jovem que fez a gravação desabafou sobre o ocorrido. Ela contou que estava indo para o trabalho e que tudo começou quando ela ouviu uma senhora “bem desesperada”.

“Ela se levantou para entender o pq estava sendo acusada e eu fui atrás gravar . nisso tinha um carro de polícia na lateral do ônibus que imediatamente entro no ônibus e foi diretamente abordar a moça até porque a maioria das pessoas no ônibus dizia que teria sido ela a autora do roubo (SIC)”, disse a jovem em um trecho da mensagem.

A jovem relatou que se emocionou em vários momentos enquanto gravava a ação, mas evitou demonstrar o sentimento para a mulher que estava sendo acusada.

“As pessoas estavam tentando me convencer que não era racismo que isso sempre acontece. mais não isso não deve acontecer ! as pessoas aplaudiram a atividade dos polícias mais não fizeram nada para ajudar a moça. ao mínimo pediram desculpas a ela (SIC)”, disse.

Ela também argumentou que a mulher não quis registrar um Boletim de Ocorrência (B.O.) sobre o caso.

O que diz a PM

Em nota, a PM disse que “independente de cor, raça ou gênero a PM atua com objetivo de salvaguardar vidas e proteger aqueles que, por ventura, encontrem-se vulneráveis ou necessitados de apoio da Corporação”.

A corporação argumentou que a equipe abordou uma mulher negra, que foi indicada pelas vítimas, mas fez a abordagem com o consentimento dela, assim como abordou outra mulher, igualmente indicada no local.

A nota diz ainda que é importante lembrar que “o caso foi resolvido de forma rápida e eficaz por policiais de uma unidade de atuação em rodovia, mas que não se negaram a atender uma situação em perímetro urbano, uma vez que a PM pode atuar em qualquer região ou lugar do Estado, de maneira desburocratizada e objetivando a solução”.

“A PM atua juntamente com a população e foi com informações de populares que conseguiu resolver esta situação e devolver os pertences ao cidadão, além de garantir a segurança para toda a comunidade que estava naquele ônibus”, diz outro trecho da nota.

Redação Tem com G1


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail