Alegando problemas de saúde, Pazuello pede para deixar Ministério

Pressão de deputados e 'efeito Lula' teriam colaborado com a saída.

Imagem: Reprodução

Pressionado, Eduardo Pazuello pediu para deixar o Ministério da Saúde neste domingo (14). A justificativa apresentada por ele foi de estar com problemas de saúde. A demissão do general era considerada uma questão de dias por interlocutores próximos ao Palácio do Planalto. A troca no comando do ministério é prevista para esta semana.

O pedido de afastamento coincide com o auge da pressão de deputados do Centrão, que pleiteiam mudança no comando da pasta sob pretexto de má gestão durante a pandemia.

Pessoas próximas ao presidente já entraram em contato com dois médicos cardiologistas cotados para substituir Pazuello: Ludhmila Abrahão Hajjar, professora associada da USP, e Marcelo Queiroga, presidente da Sociedade Brasileira de Cardiologia. O primeiro nome, como divulgou o blog de Andreia Sadi, é o preferido do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), e de deputados do Centrão.

As conversas sobre a substituição de Eduardo Pazuello evoluíram nos últimos dias também em função da volta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva à cena política. Lula proferiu um discurso na última quarta (10), logo após ter suas condenações no âmbito da Lava-Jato anuladas pelo STF, em que criticou fortemente a condução do governo na crise da covid-19.

“É o efeito Lula”, diz o analista político André Cesar, da Hold Assessoria Legislativa. “Agora, o jogo mudou e o governo está atento às possíveis vulnerabilidades”.

Redação Tem com G1



Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail