Tomografias mostram regressão de câncer após tratamento inédito

Aposentado em estado terminal ganhou alta hospitalar após passar por um tratamento inédito

Imagem: Reprodução/TvNa

Um mês de tratamento baseado em terapia genética devolveu esperanças a um aposentado mineiro e o fez receber alta hospitalar no fim de semana. Vamberto Luiz de Castro, de 62 anos, foi diagnosticado com linfoma em fase terminal, porém, os exames realizados na última semana mostram a remissão do câncer.

No primeiro exame, feito no início de setembro, o corpo do paciente estava tomado por tumores, já o último mostra que a maioria desapareceu. De acordo com os médicos, os que restam sinalizam a evolução da terapia.

A técnica utilizada no tratamento de Vamberto foi descoberta no exterior e é conhecida como CART-Cell. Ela consiste na manipulação de células do sistema imunológico para combaterem as células causadoras do câncer. O ataque é contínuo e específico e, na maioria das vezes, basta uma única dose.

Foto: Divulgação/Hemocentro RP

Os pesquisadores da USP – apoiados pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e pelo Conselho Nacional de Pesquisa (CNPq) – desenvolveram um procedimento próprio de aplicação da técnica, que já é muito utilizada em países ricos.

De acordo com os médicos que acompanham o tratamento de Vamberto em Ribeirão Preto (SP),  o paciente está “virtualmente” livre da doença, mas ainda não falam em cura porque o diagnóstico final só pode ser dado após cinco anos.

A ideia é que o Centro de Terapia Celular (CTC-Fapesp-USP) mantenha aberto o protocolo de produção de células CAR T, permitindo que outros laboratórios reproduzam as técnicas para cuidar de mais pacientes.

Redação Tem com Catraca Livre


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail