O futebol do Londrina está desaparecido

Mais doloroso do que o dinheiro perdido com a eliminação, está a frustração por ainda não ter um time formado

Salve Nação Alviceleste!

Mais uma partida sem ousadia, sem qualidade, sem organização, sem futebol e sem qualquer comando técnico. Parece um roteiro repetido, mas essa é à tona dos jogos do Londrina em 2018, o futebol do time que por muito pouco não subiu para a Série A ano passado parece ter sido perdido pelo caminho, definitivamente o Londrina ainda não estreou em 2018.

A eliminação? Justíssima, o Londrina não criou absolutamente nada nos 90 minutos, o gol saiu depois de uma bola rebatida que germano ajeitou de cabeça e caiu nos pés de Carlos Henrique, que não desperdiçou a chance, o pênalti foi através de jogada individual do centroavante Alviceleste, onde a bola bateu na mão do defensor cearense e que infelizmente Germano não foi feliz no arremate.

O Ceará foi completamente superior e mandou na partida, teve inúmeros espaços e conseguiu finalizar várias vezes com perigo, e é aí um ponto (na verdade todos) que discordo da entrevista do senhor Ricardinho após a partida, o treinador Alviceleste analisou que sua estratégia deu certo e que os gols da equipe nordestina partiram de bolas paradas, mas que no resto do jogo o Londrina soube anular as principais jogadas trabalhadas do adversário, qual partida Ricardinho assistiu? Pois, na que eu vi fomos totalmente envolvidos e sofremos muito na marcação de tais jogadas.

O descontrole emocional em campo também ficou evidente, um time nervoso e que não conseguia acertar passes relativamente simples, talvez isso se explique pela quantidade de jogadores inexperientes no elenco, na partida de ontem apenas Dirceu e Germano possuem grande experiência em competições nacionais, isso que nem Germano conseguiu manter a cabeça no lugar e foi expulso de maneira infantil, após cometer duas faltas praticamente seguidas, porém a maior parte dos jogadores, incluindo as recentes contratações, são apostas e promessas, incluídos jogadores que não possuem sequer dez partidas como profissionais, atletas que deveriam apenas compor elenco e não ter responsabilidade de decidir partidas.

O mínimo em casos como esse, é haver um treinador experiente do lado de fora, alguém vencedor na profissão e que saiba passar tranquilidade e principalmente ajude no amadurecimento desses jovens atletas, o que não acontece com Ricardinho, a todo momento parece “não saber o que fazer” na beira do campo, não conseguiu até agora definir um esquema tático e um padrão de jogo ao time e o que o torcedor vê é uma equipe totalmente apática, com jogadores perdidos em suas mais básicas funções e até fora de suas posições de origem, o que acaba por “queimar” um garoto da base ao ser colocado numa fogueira como essa.

A eliminação na Copa do Brasil não é dolorosa apenas pela grande quantia em dinheiro “jogada fora”, mas também por ver que o tal planejamento para a temporada foi feito de maneira totalmente amadora, atletas que necessitam de experiência para serem “atores principais”, chegaram como os grandes salvadores da pátria. Na minha opinião a culpa nem é de tais jogadores, que como eu disse precisam de apoio e auxílio em seu amadurecimento profissional, mas sim de quem os comanda e principalmente de quem “planejou” tudo isso, alguns atletas não tem a mínima capacidade para vestir a camisa do Londrina, planejamento barato que as vezes custa caro, com eliminações e dinheiro perdido, o que obviamente é ruim financeiramente tanto para o clube, quanto para a empresa gestora.

O LEC nos últimos anos conquistou muita coisa dentro e fora de campo, isso não há de se reclamar, porém com um pouco mais de investimento e planejamento poderíamos estar na primeira divisão nacional e ter avançado não apenas esse ano, mas em outros anos em fases seguintes da Copa do Brasil, trazendo cada vez mais lucros para clube/empresa.

O Alviceleste terá agora em torno de dez dias até o início do segundo turno do paranaense, a pressão será ainda maior e o Londrina tem a obrigação de estar entre os quatro classificados para a semifinal, do contrário acredito que a situação do treinador e de alguns jogadores será insustentável. Cabe ao torcedor agora rezar para que as coisas mudem, o gestor Sergio Malucelli já adiantou que uma lista de dispensas será divulgada, porém chegar novamente na porta da série B sem formar um time, fará com que mais uma vez o LEC perca tempo no meio da competição em busca de entrosamento e pode custar caro ao fim da Série B, com a “falta de evolução” do time a luz no fim do túnel está cada vez mais longe.

Ricardinho chegou a ser demitido pelo gestor, que de cabeça mais fria voltou atrás na decisão. Foto: Gustavo Oliveira / LEC

Qual a sua opinião, torcedor alviceleste, de quem é a culpa pelas recentes eliminações? O que seria necessário fazer para que o ambiente Alviceleste mude e o torcedor volte a ter alegrias? E sem me esquecer, se encontrar o futebol do Londrina, ligue para (43) 3322-9756 ou (43) 3322-9691 e avise imediatamente.

 

Diego Rocha

Londrinense de corpo, alma e coração, apaixonado por futebol, pela festa nas arquibancadas e principalmente pelo Londrina Esporte Clube.


Esse conteúdo é de responsabilidade de seu autor(a).


Você tem que estar por dentro!
Assine nossa Newsletter e receba notícias e novidades no seu e-mail